A Barraca

Ano novo, novos encontros imaginários

É já dia 9 de Janeiro que têm início os Encontros Imaginários 2017, no Teartro A Barraca. Contam com a presença de António Sérgio, Marcello Caetano e Manuel da Fonseca

Encontros Imaginários 2017

A edição de 2017 dos Encontros Imaginários começa a 9 de Janeiro, no Teatro A Barraca, em Lisboa.

Neste primeiro encontro, além das personalidades presentes, decorrerá também o lançamento do Livro “Encontros Imaginários 2016”.  Esta apresentação será às 18h, e conta com intervenções do jurista Laborinho Lúcio e do jornalista Adelino Gomes.

Para Helder Costa, encenador, actor e dramaturgo d’A Barraca, o ano de 2017 merece reflexão, em Portugal e no mundo, com a participação de todos.

Vamos entrar em 2017, e todos sabemos que vai ser um ano perigoso e instável com tantos actos eleitorais e o domínio ideológico, em várias latitudes, de uma inconcebível “marcha – atrás” no percurso de um Mundo melhor, mais decente e humano.

O berlusconismo e populismo do Trump, apelando ao egoísmo individual é a verdadeira luta contra o colectivismo, o laicismo e o olhar em frente. Por isso mesmo, é um tempo que não admite distracções nem desistências.

1º Encontros Imaginários 2017

As individualidades presentes são: António Sérgio, Marcello Caetano e Manuel da Fonseca. Conheça-os:

António Sérgio

António Sérgio

Foi um pensador, pedagogo e político português. Estudou no Colégio Militar , na Escola Politécnica e na Escola Naval. Abandonou a Marinha com a implantação da República em 1910, por ter jurado fidelidade ao rei deposto . Nos anos de 1920 integra a direcção da Seara Nova (junto com Raul Proença e Jaime Cortesão). Com o fim da Primeira República, vê-se obrigado ao exílio, residindo em Paris de 1926 até 1933. De volta ao solo pátrio fez parte do Movimento de Unidade Democrática, e apoiou a candidatura de Humberto Delgado. No fim da vida, disse que a sua obra falhara, mas ressalvava contudo o seu combate pelo Cooperativismo como a única coisa útil que legaria ao seu país. O essencial da actividade política de Sérgio é sempre enquadrável com o seu aspecto teórico – a ligação à Democracia, à Liberdade, como via para a Educação e Cultura. A partir de 1959, abandonou a intervenção cívica activa e a pena de escritor, vindo a falecer em 1969.
Por Eduardo Graça, cases

Marcello CaetanoMarcello Caetano

Foi professor de direito e político. Inicialmente ligado aos círculos monárquicos católicos do Integralismo Lusitano, ainda jovem participou na fundação da Ordem Nova (1926-1927), cuja revista, antimoderna, antiliberal e antidemocrática, dirigiu. Apoiou a Ditadura Militar de 1926 a 1928, e foi apoiante de Salazar, sendo comissário nacional da Mocidade Portuguesa ,e ministro de várias pastas. Foi reitor da Universidade de Lisboa , demitindo-se em 1962, no seguimento da Crise Académica desse ano e em protesto contra a acção repressiva da polícia de choque, contra os estudantes. Quando Salazar adoeceu, Américo Thomaz chamou Marcello Caetano para o substituir. Quando assumiu o poder, em 1968, não implementou a democracia nem logrou uma solução para o grave problema colonial. Foi deposto pela Revolução de 25 de Abril de 1974, exilando-se no Brasil.
Por Jacinto Meca, magistrado

Manuel da Fonseca

Manuel da Fonseca

Foi um escritor (poeta, contista, romancista e cronista) português.
Membro do Partido Comunista Português (PCP), Manuel da Fonseca é considerado por muitos como um dos melhores escritores do neo-realismo. Nas suas obras, carregadas de intervenção social e política, relata como poucos a vida dura do Alentejo e dos alentejanos. Era membro da Sociedade Portuguesa de Escritores quando esta atribuiu o Grande Prémio da Novelística a José Luandino Vieira pela sua obra Luuanda, o que levou ao encerramento desta instituição e à detenção de alguns dos seus membros na prisão de Caxias, entre os quais Manuel da Fonseca. Da sua vasta obra literária realça-se a poesia , os contos, e os romances Cerromaior e Seara de Vento.
Por Rogério Cação, Confecoop

 

Mais infromação

1º Encontros imaginários 2017

9 Janeiro de 2017
21h30

producao@abarraca.combilheteira@abarraca.com

213 965 360 | 913 341 687

Largo de Santos, 2
1200 – 808 Lisboa

Website do Teatro A Barraca

Subscreva a nossa newsletter.

Pub