Carta

Gratidão

No inicio do ano de 2017 a quem escreveria uma carta de gratidão? Por estranho que pareça as pessoas mais importantes para a nossa transformação são as mais improváveis

carta de gratidão

Tenho um amigo que ao ter acesso aos meus primeiros textos, considerando de forma sentida que estes mereceriam eco fora das revistas onde os publicava habitualmente, me perguntava constantemente: quando é que publicas um livro? Era importante. Invariavelmente, eu respondia qualquer coisa como “ainda não é o momento certo…”.

Em 2011 publiquei o meu primeiro livro: “Dharma Marketing”. Esse amigo foi a primeira pessoa a quem fiz questão de o entregar em mãos. Uma coisa lhes garanto, hoje, ele nunca leu o livro!

Era apenas o “gatilho”, aquele que foi colocado no meu caminho para me empurrar para tudo isto, para o meu trilho de recursos. A maior parte das pessoas na minha situação teria ficado muito incomodado com falta da atenção deste amigo de sempre. Eu, pelo contrário, mantenho-lhe uma profunda gratidão.

Agora, olhe à sua volta. Pense quem será, por exemplo, o seu grande mestre da paciência? Todos temos pelo menos um.

Agora já acredita que  os nossos mestres são os mais inverosímeis dos seres? Esteja, pois, grato a todos aqueles que de algum modo o obrigaram à mudança.

Todos os dias encontramos no nosso caminho pessoas, situações,… livros, que são isso mesmo, uma forma de nos chamar a atenção para algo, alguém, para a importância de pequenas coisas.

Então, neste inicio de ano de 2017 a quem escreveria uma carta de gratidão?

Nota do Director

As opiniões expressas nos artigos de Opinião apenas vinculam os respectivos autores.

Paulo Vieira de Castro

Paulo Vieira de Castro

Autor na área do bem-estar nos negócios, práticas educativas e terapêuticas. Diretor do departamento de bem-estar nas organizações do I-ACT - Institute of Applied Consciousness Technologies (USA).

Subscreva a nossa newsletter.

Pub