Diário
Director

Independente
João de Sousa

Sexta-feira, Junho 14, 2024

3 perguntas a… José Jorge Letria

J. A. Nunes Carneiro, no Porto
J. A. Nunes Carneiro, no Porto
Consultor e Formador

Um Mundo Aflito  | Guerra e Paz

José Jorge Letria
Ficcionista, mas também jornalista, poeta, dramaturgo. Nasceu em Cascais, em 1951. Tem livros traduzidos em mais de uma dezena de idiomas e foi premiado em Portugal e no estrangeiro.

 


Que retrato é este feito com palavras e fotografias sobre o “mundo aflito» em que estamos a viver?

É um retrato objectivo, frio e por vezes amargo de uma realidade que nos está atingir violentamente, privando-nos de referências, de hábitos e de certezas múltiplas. Tendo sido muitos anos jornalista, fui escrevendo o livro ao ritmo da verificação quotidiana desta nova realidade social, humana e até afectiva. Não inventei, só verifiquei e fui-me redescobrindo nessa nova e estranha dinâmica. Foi assim que concebi o livro, à medida que o ia escrevendo. Também convidei Pedro Abrunhosa para o prefaciar por ter sido a primeira grande figura do mundo das artes e da cultura a tomar em Portugal uma posição sobre a pandemia. Gosto muito desse texto.

Daqui a muitos anos, como recordaremos este ano de 2020?

Vamos recordar 2020 com um tempo de excepção e de mudança nas nossas vidas, não sabendo ainda hoje até que ponto tudo irá mudar. Veja-se o que se está a passar nos estádios de futebol e nos recintos da prática religiosa e assim perceberemos a gravidade e o alcance desta metamorfose que mistura os aspectos sociológicos com os morais, com os filosóficos e até com as das crenças profundas. Ainda é cedo para saber como tudo irá ficar depois. A mudança vai ser muito profunda. Disso estou certo. Já o estamos a testemunhar, desde logo na área cultural e artística.

Uma parte substancial das fotos deste livro têm pessoas e/ou os seus retratos: o mais importante são as pessoas. Depois desta pandemia, teremos aprendido a lição?

O mais importante são sempre as pessoas. Sem elas não há histórias para contar. Aprendi também isso como jornalista. A mudança profunda que está a operar-se e que vai passar pela memória viva dos mais novos, forçados a aprender em casa, é uma grande mudança das nossas vidas. Essa mudança está em curso e é um misto de incerteza e assombro que tudo sobressalta e transforma. Este foi o primeiro livro feito em Portugal sobre o tema e um dos primeiros na Europa, facto que me alegra no meio de tanta tristeza. Daqui a poucos anos poderemos ter uma noção aproximada daquilo que ficou do muito que éramos até há poucos meses.

 

 

José Jorge Letria

Um Mundo Aflito. Memória de um Tempo de Ausência
(Fotografias de Inácio Ludgero)

Guerra e Paz. 15€


Exclusivo Tornado / Novos Livros


Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante  subscrevendo a Newsletter do Jornal Tornado. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

 

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -