Diário
Director

Independente
João de Sousa

Sábado, Novembro 27, 2021

Artistas se unem para defender o Pantanal das garras do latifúndio

Marcos Aurélio Ruy, em São Paulo
Jornalista, assessor do Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo

Em mais um absurdo, sem base científica nenhuma, a ministra da Agricultura, Tereza Cristina culpa a destruição pela existência de “muita matéria orgânica seca” no Pantanal e piora ainda ao afirmar que “talvez, se nós tivéssemos um pouco mais de gado no Pantanal, isso teria sido um desastre até menor do que nós tivemos este ano”, para amenizar a destruição.

Sem conseguir culpar a esquerda, o desgoverno de Jair Bolsonaro encontrou a “salvação” do Pantanal. Em mais um absurdo, sem base científica nenhuma, a ministra da Agricultura, Tereza Cristina culpa a destruição pela existência de “muita matéria orgânica seca” no Pantanal e piora ainda ao afirmar que “talvez, se nós tivéssemos um pouco mais de gado no Pantanal, isso teria sido um desastre até menor do que nós tivemos este ano”, para amenizar a destruição.

De acordo com Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), de janeiro ao início de setembro, foram registrados 12,1 mil focos de calor no Pantanal, o maior número no período desde 1999.

Esse desgoverno vive procurando desculpas para esconder o abandono das políticas de defesa ambiental e de fomento à produção da agricultura familiar, responsável pela produção de 70% dos alimentos que chegam à mesa das famílias brasileiras”.

Além disso, “há um total descaso no combate aos incêndios criminosos que crescem assustadoramente no Brasil”, afirma Vânia Marques Pinto, secretaria de Políticas Sociais da CTB. “O desgoverno está acabando com a fiscalização e cortando verbas de todas as ações sobre a preservação da natureza”.

Acompanhe e divulgue a canção Eu Quero Ver

Por isso, Adriana Moreira, Antonio Pitanga, Arthur Tirone, Carlinhos Vergueiro, Catarina Vergueiro, Chico Buarque, Dante Ozzetti, Deni Domenico, Dirceu Leite, Dora Vergueiro, Dries Van Steen, Edinho Silva, Estela Mello, Fabiana Cozza, Flora Poppovic, Gisele Machado, Guilherme Lacerda, Hilda Maria, José Araújo, Joyce Moreno, Leonardo Thomsen, Lúdica Música, Martina Van Steen, Martinho da Vila, Moacyr Luz, Patricia Bastos, Paula Sanches, Railídia Carvalho, Raíssa de Souza, Rani Gazolla, Raphael Moreira, Renato Passarinho, Trio Gato Com Fome, Vick Bastos, Vitor Souza, Zé Benedito e Zeca Baleiro, unem suas vozes para denunciar ao mundo o descaso com a questão ambiental no país e o avanço de políticas destrutivas da natureza e dos direitos humanos.

Exigem também providências imediatas para apagar o incêndio no Pantanal, pelas queimadas comprovadamente provocadas pela ação desumana, em prejuízo das populações originárias, dos ribeirinhos, pescadores e pequenos produtores agrícolas, enfim de quem vive do trabalho na terra ou da pesca.

A música “Eu Quero Ver” denuncia a devastação da maior planície alagada contínua do mundo, sem nenhuma providência para impedir a disseminação dos focos de queimadas e sem a punição dos responsáveis por esse crime ambiental. “A alegação da ministra denuncia a vontade dos grandes proprietários de terras em inundar o Pantanal com gado e aí sim acabar de vez com esse bioma”, acentua Rosmarí.


Leia o Manifesto #AjudaPantanal


Os artistas chamam a atenção para o Manifesto #AjudaPantanal, feito por inúmeras entidades em defesa da região, contra as queimadas e a invasão de terras indígenas e a necessidade de barrar a ofensiva do capital contra a natureza no país. Para saber mais, acesse www.ajudapantanal.org.br.

“Buscando o apoio para que você nos ajude a dar um fim nessa destruição da natureza e da vida. Estamos buscando dar visibilidade a este crime contra os direitos da natureza e aos direitos humanos e a solidariedade nacional e internacional é fundamental para cobrar medidas efetivas e eficazes no combate ao fogo no Pantanal, de maneira urgente. Não aceitaremos que o Pantanal seja transformado em plantação de soja ou cana de açúcar nem em pasto para criação de gado”, diz trecho do manifesto.


Texto em português do Brasil


Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a Newsletter do Jornal Tornado. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

 

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -