Diário
Director

Independente
João de Sousa

Quinta-feira, Abril 18, 2024

As big band nacionais | Orquestra de Jazz de Leiria

José Alberto Pereira
José Alberto Pereira
Professor Universitário, Formador Consultor e Mestre em Gestão

Fevereiro de 2011 viu nascer a Orquestra de Jazz de Leiria (OJL). Inspirada nas formações clássicas de jazz, a OJL nasceu pela mão de César Cardoso, músico e professor na escola de jazz do Hot Clube de Portugal, com o apoio da Câmara Municipal de Leiria. O seu objetivo era juntar a comunidade jazzística leiriense (desde sempre uma das mais dinâmicas) e arrancar com um projeto musical diferente do que então se fazia na área, bem como com a organização de workshops e de um festival periódico de jazz, nos moldes do que ocorreu em Leiria no passado mês de maio.

Aos pequenos grupos (trios, quartetos ou quintetos) a OJL contrapõe uma formação de 18 músicos, todos do distrito de Leiria, que inclui 5 saxofones, 4 trompetes, 3 trombones, 1 tuba, 1 vibrafone, 1 piano, 1 guitarra, 1 contrabaixo e 1 bateria. A direção artística é do seu fundador. O seu primeiro concerto decorreu em 1 de abril de 2011 no castelo de Leiria, no âmbito do evento Castelo de Sons.

O repertório da OJL inclui temas clássicos compostos por Count Basie, Duke Ellington ou Thad Jones, bem como temas mais recentes de compositores como Mário Laginha, Bob Brookmeyer, Maria Schneider, Bob Mintzer, Perico Sambeat, Claus Nymark, César Cardoso, Filipe Melo e Tomás Pimentel, entre outros.

A partir de 2014 a OJL começou a promover parcerias com músicos de diversas áreas, apresentando-se conjuntamente em espetáculos onde apresenta temas desses músicos com arranjos para big band de César Cardoso. Estes eventos começaram em janeiro deste ano com a cantora Maria João, seguindo-se entre 2014 e 2018 Herman José, Luísa Sobral, Áurea, Tiago Bettencourt, David Fonseca, Pedro Abrunhosa, Ana Bacalhau, Vânia Fernandes, Camané e, já este ano, Sara Tavares e Tomás Pimentel. Todos estes espetáculos decorreram num dos dois teatros de Leiria (José Lúcio da Silva ou Miguel Franco).

No entanto, a OJL tem-se apresentado também em Lisboa, quer na Quinta das Conchas em 2014 num espetáculo integrado nas Festas da Cidade, quer num espetáculo ímpar realizado a 22 de setembro de 2016 na Ribeira das Naus, onde com a voz de Vânia Fernandes abordaram o repertório de Ella Fitzgerald ao pôr-do-sol.

O próximo espetáculo da OJL será uma parceria com António Zambujo e irá decorrer a 3 de novembro no Teatro José Lúcio da Silva, em Leiria. Mais um pequeno passo na jornada desta jovem e dinâmica orquestra, que cada vez mais se afirma como um valor seguro no panorama jazz nacional.

Uma derradeira palavra para César Cardoso. Nascido em Porto de Mós em 1982, iniciou os seus estudos musicais aos 7 anos na Banda Recreativa Portomosense, tendo depois prosseguido na Escola de Música do Orfeão de Leiria, no Hot Club de Portugal e na Escola Superior de Música de Lisboa. É atualmente professor de jazz, teoria, combo, saxofone e big band, no Hot Club de Portugal, líder dos Desbundixie e da Orquestra de Jazz de Leiria. Com o seu próprio quinteto, o “César Cardoso 5tet”, publicou já 3 discos: Halfstep (2010), Bottomshelf (2015) e o recente Interchange (2018), em parceria com o saxofonista norte-americano Miguel Zenon e que foi pontuado com 4 estrelas (em 5) pela revista de jazz “Downbeat”, na sua edição de junho. Tem também publicados dois livros: Teoria do Jazz (2016) e Teoria do Jazz Exercícios (2018).

Vídeos

 

Por opção do autor, este artigo respeita o AO90

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante  subscrevendo a Newsletter do Jornal Tornado. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -