Diário
Director

Independente
João de Sousa

Domingo, Julho 3, 2022

Comício gigante em Díli favorece vitória de Ramos Horta

J.T. Matebian, em Timor-Leste
J.T. Matebian, em Timor-Leste
Correspondente em Timor-Leste.

Os milhares de pessoas presentes no último comício eleitoral realizado ontem pela candidatura apoiada por Xanana Gusmão, em Díli, demonstraram que a vitória na 2ª Ronda da Eleição Presidencial de Timor-Leste de 2022 está praticamente garantida e Ramos Horta será o próximo Presidente de Timor-Leste.

A zona de Tasi Tolo (Três Lagoas) foi o lugar escolhido pela candidatura de José Ramos Horta para a realização do último comício inserido no Programa da Campanha Eleitoral que terminou hoje, dia 13 de Abril de 2022.

No comício de Tasi Tolo onde, para além do candidato presidencial, estiveram presentes o Líder histórico da Resistência e Presidente do Conselho Nacional da Reconstrução de Timor-Leste (CNRT), Kay Rala Xanana Gusmão, o Presidente do Partido Socialista de Timor (PST), Avelino Coelho/Sahalar Kosi, bem como líderes de outros partidos políticos e organizações apoiantes da candidatura de José Ramos Horta, a palavra de ordem foi o apelo ao voto nº 1 para a “Reposição da Ordem Democrática” e o “Desenvolvimento económico de Timor-Leste”.

A campanha eleitoral terminou hoje e também foi neste mesmo dia que se realizou o debate presidencial que terminou há pouco, às 23 horas (horas de Timor-Leste).

A Comissão Nacional de Eleições (CNE), em parceria com a Rádio e Televisão de Timor-Leste (RTTL), depois de acertarem todos os detalhes organizaram o debate entre os dois candidatos presidenciais que passaram à 2ª Ronda da Eleição Presidencial, José Ramos Horta e Francisco Guterres “Lú Olo”.

As perguntas do debate foram variadas e englobaram questões relacionadas com o conceito de Estado, a constituição do país, as relações internacionais, a corrupção, a segurança nacional, entre outras, tendo havido um moderador, três académicos que formaram um painel, num programa com perguntas e respostas, e interacção entre os candidatos presidenciais.

José Ramos Horta, Prémio Nobel da Paz, um candidato com muita experiência internacional e com conhecimentos vários ao nível das Nações Unidas, e junto de vários políticos na Austrália, nos países da ASEAN, da CPLP e da União Europeia mostrou estar mais à vontade.

Um dos momentos mais tensos do debate ocorreu quando Ramos Horta perguntou a Francisco Guterres “Lú Olo” porque razão não tinha dado posse aos membros do governo oriundos do CNRT.

Na 1ª Ronda da Eleição Presidencial José Ramos Horta obteve 46,6% dos votos, um total de 303.477, enquanto Francisco Guterres “Lú Olo”, candidato número 2 do boletim de voto,  parte em larga desvantagem, teve apenas 144,282 votos (22,1%).

A votação da 2ª Ronda da Eleição Presidencial será no próximo dia 19 de Abril e os boletins de votos e outros materiais já estão a ser organizados para serem distribuídos pelo país e pela diáspora.

Praticamente todos os observadores e analistas políticos são unânimes em aceitar que a vitória de Ramos Horta é quase certa faltando apenas saber qual será a diferença percentual entre os dois candidatos.

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

A impostora

Titãs cantam: “Comida”

Além Tejo (1)

- Publicidade -