Diário
Director

Independente
João de Sousa

Quinta-feira, Agosto 5, 2021

Conscious Tech e a Tecnologia da Realidade Interna pelo Mundo

Nélson Abreu, em Los Angeles
Engenheiro electrotécnico e educador sobre ciência e consciência. Descendente de Goa, nasceu em Portugal, e reside em Los Angeles.

Que tipos de tecnologias podem facilitar o conhecimento, o desenvolvimento e o bem-estar dos indivíduos e, por extensão, das organizações e comunidades? A Realidade Interna (IR technology) ou Conscious Tech refere-se a um sector tecnológico emergente relacionado aos estudos da consciência (o Ser), complementar ao AR e o VR (Augmented Reality / Virtual Reality, Realidade Aumentada e Virtual). Que tipos de tecnologias podem facilitar o conhecimento, o desenvolvimento e o bem-estar dos indivíduos e, por extensão, das organizações e comunidades? Como podem as práticas relacionadas à consciência, meditação, atenção plena e energia inspirar novas tecnologias? Estas são as principais questões que agitam os novos Hackers da Consciência.

Entre os pioneiros neste campo estão Brenda Dunne e Dr. Robert Jahn. A dupla liderou o famoso laboratório de Pesquisa de Anomalias de Engenharia de Princeton (PEAR) por 3 décadas. O seu legado continua com os Laboratórios de Pesquisa de Consciência Internacional (ICRL). Desde a década de 1970, tem sido demonstrado que é possível afectar dispositivos físicos aleatórios de forma anómala, tornando-os menos imprevisíveis, reduzindo a desordem nesses sistemas quando sob a influência da intenção humana ou da coerência, sintonia ou ressonância emocional dos grupos. de indivíduos. Desde então, além de comprovar a existência deste fenómeno no qual a consciência afecta dispositivos chamados Geradores de Eventos Aleatórios ou REGs, mesmo à distância, eles tentam desenvolver aplicações desta descoberta para a vida quotidiana.

Uma das primeiras empresas a emergir com base nesta pesquisa foi Psyleron. De mensagens de texto aleatórias que parecem ter um sentido sincronistico a lâmpadas que mudam de cor aparentemente de acordo com o nível de ressonância entre as pessoas, os primeiros produtos surgiram. Em vez de dispositivos individuais, a startup Entangled, liderada por Adam Curry, transforma cada smartphone em um REG. O aplicativo Entangled usa variações electrónicas imprevisíveis para criar 0s e 1s aleatoriamente. Quando os efeitos da consciência individual ou colectiva tornam os dados mais coerentes e ordenados, como durante um momento de entusiasmo colectivo durante uma reunião, o efeito pode ser registado.

Há também a promessa de que essas tecnologias serão capazes de identificar afinidades que existem além dos algoritmos, algo que está muito além do que a Pandora, a Amazon ou a Netflix são capazes de fazer hoje. O maior efeito já registado até hoje foi detectado por uma rede de REG espalhadas pelo mundo (o Projeto de Consciência Global do físico Roger Nelson e o engenheiro e psicólogo Dean Radin). O efeito ocorreu em 11 de Setembro de 2001, 4 horas antes do primeiro ataque. O mesmo prof. Radin do Instituto de Ciências Noéticas (IoNS) está desenvolvendo um detector de influências humanas através de sensores ópticos que medem pequenas mudanças no comportamento de um laser.

Wagner Alegretti, engenheiro afiliado à Academia Internacional de Consciência (IAC) e ao Instituto de Consciência Aplicada (I-ACT), tem surpreendido neurocientistas, engenheiros e académicos ao detectar efeitos relacionados a biofields “chi” ou de energia por meio de dados ressonância magnética funcional. Tal tecnologia pode ser utilizada para detectar a exteriorização de energia de um indivíduo. Tais instrumentos podem ser uma indicação objectiva de efeitos energéticos.

O engenheiro Nelson Abreu e o físico Thomas Anderson desenvolveram uma plataforma vibro-acústica que usa vibrações por todo o corpo, inspirada  nas práticas e investigações de Nanci Trivellato (autora da obra Estado Vibracional) entre outros. Um tipo de massagem e acupunctura sem agulhas e câmara flutuante sem água e sal, plataforma permite o alcance de estados alterados.

Tais estados, como organização extracorpórea, sonho lúcido e estado vibratório, estão associados à transformação espiritual, descanso, alívio do stress, redução da inflamação, criatividade e visão. Os sons sonoros foram inspirados por técnicas tribais e técnicas energéticas e utilizam uma plataforma de transdutores avançados. Resultados de um teste piloto foram apresentados no I Congresso Internacional de Consciência em Evoramonte em 2015, apontando para a eficácia desta tecnologia.

O aplicativo Neuma App com a designer e arquitecta Manori Sumanasinghe do NeumaScape Studio (Sri Lanka / Los Angeles / Porto), em versão beta, aplica uma técnica para experiências fora do corpo apresentada durante o II Congresso Internacional de Consciência (Miami) e Congresso Consciência, Ciência, Tecnologia e Sociedade (Shanghai) em 2017. Usando uma série de alarmes, o indivíduo acaba por entrar num estado intermediário entre o despertar e o dormter (hipnagogia) conhecido como uma porta de entrada para os estados alterados.

A mesma equipe já projecta o Neuma Pod, uma câmara de isolamento sensorial para relaxar, despertar, entreter ou inspirar tanto num escritório, spa, aeroporto, hospital ou shopping center. O sistema acompanhará exercícios guiados para relaxamento, atenção / estimulação, criatividade e bem-estar (redução do stress, dor e ansiedade).

Outra empresa com ligações a Portugal é a Tag Life. Esta criação de João Henriques (Los Angeles / Toronto / Lisboa) motiva as pessoas a expressar gratidão diariamente e outras formas de estimular o seu bem-estar. É um tipo de “social media” anónimo onde o sentimento e o impacto interno e nos demais é o que importa, e não a auto-promoção.

No México, encontramos o Dr. Carlos Bernal, que está a desenvolver tecnologias de indução de experiências de sono conscientes de forma mais consistente. Ele tem detectado padrões cerebrais correlacionados. Quando esse padrão é detectado ou um relato de uma pessoa que chega ao estado, o neurocientista observa uma medida específica. A associação do sentido do olfacto faz com que a mesma pessoa chegasse a um estado parecido no futuro, quando exposta ao mesmo aroma.

Já na Suíça, estamos acompanhando o trabalho do neurocientista Olaf Blanke, da École Polytechnique Fédérale de Lausanne, EPFL. O prof. Blanke usa óculos com câmaras e realidade virtual para enganar o cérebro. Ao julgar que esta noutra parte da sala ou dissociar-se do próprio corpo, ele verificou uma sensação diminuída de dor. Não só temos este efeito analgésico, existem também relatos de indução de experiências espontâneas.

Além da tecnologia para ajudar a manter a energia, a atenção e os estados transformadores, criativos e de bem-estar, os mesmos estados de consciência podem ser muito importantes para o Silicon Valley. Não é coincidência que os executivos do Google e outros gigantes da tecnologia participam de conferências como a TransTech da Universidade de Sophia. Essas empresas já sabem que a conscientização é uma fonte inigualável de energia, saúde, criatividade e inovação. Os mais recentes incluíram a pioneira Beverly Rubik, que estuda métodos de detecção do biocampo e agitador do movimento Hackers of Consciousness, Mikey Siegel.

O próprio inventor do microprocessador, Federico Faggin, premiado pelos presidentes da Itália e dos EUA por suas empresas, projectou que a inteligência artificial vai mudar o mundo, mas que maquinas não vão ser conscientes. Os seres humanos são mais complexos, com capacidade de empatia e compreensão muito além da mera computação. A tecnologia avança e supera certas capacidades de ser humano. No entanto, o que nos distingue das máquinas é os define como seres humanos. O que é mais valioso no próximo século – a empatia e a criatividade – pode ser ampliado pelas conscious tech ou internal reality tech.

 

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante  subscrevendo a Newsletter do Jornal Tornado. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -