Diário
Director

Independente
João de Sousa

Quinta-feira, Julho 25, 2024

Contradições

J. A. Nunes Carneiro, no Porto
J. A. Nunes Carneiro, no Porto
Consultor e Formador

DIA 15, FALAMOS

O nosso tempo revela, entre muitas outras coisas, um conjunto de contradições preocupantes. Uma delas tem a ver com a alimentação e o desperdício alimentar.

1

O nosso tempo revela, entre muitas outras coisas, um conjunto de contradições preocupantes. Uma delas tem a ver com a alimentação e o desperdício alimentar.

Li um artigo em que os números são assustadores e nos deviam fazer pensar. E, já agora, deviam fazer alterar os nossos comportamentos.

Vejamos: “As Nações Unidas calculam que um terço dos alimentos é perdido ou vai parar ao lixo e que os países ricos deitam fora uma quantidade de alimentos equivalente à produção de toda a África Subsariana, isto é, cerca de 230 milhões de toneladas por ano.”[1]

No entanto, em Portugal (e em muitos outros países) há pessoas com fome, sem dinheiro para acederem a uma refeição decente todos os dias.

Dá que pensar.

2

Outra contradição: milhões de pessoas obesas gastam dinheiro e tempo em programas mais ou menos apropriados de emagrecimento. Paralelamente, os Estados gastam muitos milhões a tratar pessoas com doenças originadas pelo excesso de peso. No entanto, esses mesmos Estados, quanto gastam em prevenção e comunicação activa de boas práticas alimentares para as escolas ou para as famílias?

A maioria dos Governos prefere, como sabemos, gastar muito mais dinheiro no tratamento do que na prevenção.

Dá que pensar.

3

No ano passado, a torradeira lá de casa deixou de funcionar. Procurei e encontrei a factura. Azar: a garantia tinha acabado há dez dias. Mas o aspecto e o pouco tempo de uso levaram-me à loja onde a tinha comprado. Não achava necessário comprar já uma nova. Tinha esperança numa reparação e, com sorte, ainda conseguiria “activar” a garantia pois só tinham passado 10 dias.

Pois, correu tudo de forma diferente. O amável empregado lá me explicou que, para activar a garantia, tinha de colocar o número da factura de compra e o sistema detectaria a data e não o permitiria. Muito bem, então, pergunto: é possível enviar para a Assistência Técnica? Claro: tem um custo de 25 euros, informa. Perante a minha surpresa e desagrado acrescenta: “Se procurar na nossa loja, temos torradeiras novas  a partir de 21,90€.” Para quê mandar arranjar…

O “sistema” controla implacável. E a política das empresas aponta para a pura substituição (geradora de mais lixo e de desperdício…) que, dizem, é mais rentável…

Dá que pensar.

4

Desperdício alimentar, obesidade da população, falta de prevenção e esta filosofia do “usar e deitar fora”: o que têm em comum estas quatro situações?

Em primeiro lugar, são reveladoras do nível e do tipo de preocupações que Governos e todos nós (ou, pelo menos, a maior parte de nós…) temos.

São temas que, por vezes, são notícia. Por vezes, há um debate sobre ou lemos um artigo a propósito. Mas, em concreto, não sabemos o que está a ser feito e… não nos interessamos. Não colocamos na agenda mediática. Não incluímos nas exigências que fazemos quando vamos votar. Não faz parte das nossas preocupações porque, muitas vezes, é um problema “dos outros”. Não pensamos nas consequências e achamos normal. Ficamos, muitas vezes, indiferentes. A indiferença e esse hábito de olhar para o lado para não ver, são um gravíssimo problema… que é nosso.

Enquanto assim for, não há mudança. E muito menos a mudança mais difícil mas essencial em (quase) tudo: a mudança de comportamentos e de hábitos.

Diz a sabedoria popular: “prevenir em vez de remediar”. Simples? Certo. Mas, quem dá o primeiro passo?

 

[1] Virgílio Azevedo, “Alimentos consumidos em  excesso por obesos pesam 108  vezes mais do que os deitados ao  lixo” (Expresso, 23/08/2019)


Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante  subscrevendo a Newsletter do Jornal Tornado. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

 

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

Artigo anterior
Próximo artigo
- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -