Diário
Director

Independente
João de Sousa

Quinta-feira, Junho 13, 2024

Escarificação – Cultura ou Violação dos Direitos Humanos?

M. Azancot de Menezes
M. Azancot de Menezes
PhD em Educação / Universidade de Lisboa. Timor-Leste

O conceito de cultura é polissémico e complexo, inclui várias dimensões, como as crenças, a moral e os costumes, entre outras. Nesta perspectiva, a escarificação é cultura ou violação dos direitos humanos?

Na linha de pensamento de Edward Tylor, a cultura como um todo engloba grande variedade de culturas em que cada uma delas é característica de um certo grupo de indivíduos, daí que, conforme advogava o grande mestre das Ciências Sociais, Marcel Mauss, qualquer investigação etnográfica apresenta sempre dificuldades subjectivas. Este grande nome da etnologia e da antropologia, Mauss (1950), professor do Institut d’Ethnologie da Universidade de Paris I – Sorbonne, já falecido, defendia que para qualquer estudo de âmbito sociológico há princípios de observação a respeitar para procurar-se a objectividade, tanto na exposição como na observação.

É precisamente imbuído desse espírito, aceitando que o conceito de “cultura” (ou “culturas”) nem sempre acarreta consensos, e ciente de que se deve respeitar as diferentes partes que integram os fenómenos sociais (geografia humana, religião, língua, etc.), entendi que poderia ser interessante partilhar algumas fotografias que postei na minha conta do facebook. Estas imagens incríveis, praticamente todas da autoria do fotógrafo francês Eric Lafforgue, referem-se à técnica da escarificação (marcas realizadas na pele com lâmina ou outro objecto cortante) praticada em alguns países.

Trabalho de Eric Lafforgue

O fotógrafo viajou por vários países africanos para melhor compreender a técnica da escarificação. Numa entrevista concedida ao Daily Mail, Eric Lafforgue terá referido que uma rapariga de 12 anos de idade, em sessão de escarificação, terá permanecido em silêncio durante 10 minutos. No final terá confessado que “estava à beira de um colapso” mas que o importante era ficar com as marcas, um sinal de beleza dentro da tribo, e que não tinha sido obrigada.

Ao ler os comentários de reacção às imagens postadas na minha conta do facebook achei interessante verificar que as opiniões diversificavam em função das origens socioculturais de cada interveniente. Alguns dos comentaristas estavam totalmente a favor da escarificação. Na opinião destes, as escarificações simbolizam os costumes dos países em questão, tais como o processo de transição de rapaz para adulto, a forma de ostentar a beleza das mulheres ou para diferenciar as tribos. Outros participantes, com opiniões diametralmente opostas, de reprovação total, alegaram que é uma óbvia violação dos direitos humanos à luz da Carta Universal dos Direitos do Homem.

 

 

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a Newsletter do Jornal Tornado. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -