Diário
Director

Independente
João de Sousa

Quarta-feira, Junho 19, 2024

Guerra Económica Euro-Americana

José Mateus
José Mateus
Analista e conferencista de Geo-estratégia e Inteligência Económica

Gosta de beber “bourbon” do Kentucky, de vestir uns jeans Levi’s e de andar de Harley? Então, apresse-se, é que o eixo Bruxelas/Berlim está a pensar lançar pesadas taxas alfandegárias sobre estes produtos americanos. Parece que será a resposta “europeia” às medidas de Trump sobre o aço e o alumínio…

Os pornográficos excedentes comerciais da Alemanha são a razão de ser deste conflito. Trump acha que os USA, que pagam também a defesa da Alemanha, alimentam os cofres de Berlim com esta relação comercial desequilibrada a favor da Alemanha. Portanto, conclui Trump, está na altura de equilibrar as coisas e as contas. Como as conversas não levaram a lado nenhum, resta aos USA tomar “medidas”. Ou seja, nesta guerra económica euro-americana é a Alemanha quem mais tem a perder e quem é realmente visada por Trump.

O “joker” luxemburguês de Merkel em Bruxelas, o inefável senhor Junker, apressou-se a declarar que «L’Union européenne ne peut pas rester sans réagir. Ce qu’ils (les États-Unis) peuvent faire, nous sommes capables de faire exactement la même chose». Provavelmente, esta esclarecida declaração do eurocrata máximo foi proferida depois do almoço…

Merkel veio também a terreiro e fez saber que vai “analisar em detalhe a decisão americana” e que a UE responderá com “as contra-medidas apropriadas”. A resposta ao “America First” será, acrescentou Merkel, “a Europa unida” (o “unida atrás da Alemanha” está implícito e, por isso, não foi necessário que Merkel o verbalizasse). A resposta de Trump a este ballet verbal foi fazer saber que pode considerar uma taxa de 25% sobre Mercedes e BMW…

Curiosamente, Macron (que diz serem os excedentes comerciais da Alemanha um dos grandes problemas da Europa…) adoptou, neste caso, uma postura mais radical que a alemã e mandou dizer que as medidas americanas eram “ilegais” e que «La France et l’Allemagne continueront de travailler de façon étroite et coordonnée sur le sujet».

Do leitor, não sei qual será a decisão, mas eu vou já comprar três pares de Levi’s 501, antes que a coisa dê para o torto.

Exclusivo Tornado / IntelNomics

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante  subscrevendo a Newsletter do Jornal Tornado. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -