Diário
Director

Independente
João de Sousa

Segunda-feira, Setembro 27, 2021

João Paulo Félix fez 40 ultramaratonas pelos direitos das crianças

Joaquim Ribeiro
Jornalista

Terminou no dia 23 de Agosto, na praia da Areia Branca, concelho da Lourinhã, a Volta a Portugal a Correr pelos Direitos das Crianças. O atleta João Paulo Félix partiu também da Areia Branca 40 dias antes para um projecto de 40 ultramaratonas, num total de 2.222 quilómetros, que terminou entre uma multidão de apoiantes e entusiastas.

Os últimos quilómetros foram percorridos na companhia de vários atletas do Sporting Clube Lourinhanense e alguns populares, mais a madrinha da iniciativa, a antiga atleta Aurora Cunha. A recebê-lo estavam também outros atletas do presente e do passado, como o antigo campeão olímpico Carlos Lopes, para além de autarcas e patrocinadores.

A cerimónia de encerramento desta autêntica aventura, já habitual para João Paulo Félix, contou com a presença de Rosário Farmhouse, presidente da Comissão Nacional de Promoção dos Direitos e Protecção de Crianças e Jovens, que entregou ao atleta um passaporte no início da corrida e foi carimbado ao longo do percurso por 92 CPCJ (Comissões de Protecção de Crianças e Jovens) de concelhos de norte a sul do país. “É inspirador e é uma forma de chamar a atenção para as crianças, porque há muitas que ainda não têm acesso a todos os direitos, incluindo em Portugal”, disse.

O anfitrião da cerimónia, Miguel Dias, passou então uma das mensagens surpresa, a primeira, de José Ramos Horta, ex-Presidente da República de Timor-Leste e Prémio Nobel da Paz. João Duarte, presidente da Câmara da Lourinhã, agradeceu a João Paulo Félix “por este gesto em prol dos direitos das crianças” e prometeu que “se no próximo ano quiser voltar a fazer esta prova pode contar com a Lourinhã”.

João Paulo Félix agradeceu o apoio de todos e manifestou a sua satisfação “por voltar aqui 40 dias depois”, frisando que “cheguei aqui com o contributo de todos vós, em especial da minha família”. Apontou também para o futuro, ao afirmar não querer que “o projecto seja centrado em mim, porque gostava que tudo isto tivesse continuidade, por isso no próximo ano esta corrida vai ter um formato diferente, mais centrado na comunidade e menos no João”. E como tudo para João Paulo Félix é feito com preparação detalhada, já há uma data para a iniciativa de 2022, que parte no dia 1 de Abril e terá uma duração de 30 dias a correr.

A sessão terminou com trocas de presentes e o último carimbo da CPCJ da Lourinhã. Miguel Dias passou então a segunda mensagem surpresa, de Ana Mendes Godinho, ministra do Trabalho, da Solidariedade e da Segurança Social.

“Agora vou voltar à minha vida normal. Amanhã vou comer uma sardinha assada e beber um vinho branco fresco”, finalizou João Paulo Félix, com a calma que o caracteriza. Mas o atleta não vai parar muito tempo, dado que no dia seguinte partiu para a Madeira para dar a volta à ilha a correr e no final do ano dará a volta às ilhas da Terceira e de S. Miguel, nos Açores.

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -