Diário
Director

Independente
João de Sousa

Quinta-feira, Janeiro 20, 2022

Ministra de Angola felicita UPRA no combate à Covid-19

A ministra da Saúde de Angola, Doutora Sílvia Lutucuta, abriu a sessão de vídeo-conferência internacional organizada pela Universidade Privada de Angola e pelo Centro Policlínico Universitário (CEPOU), com o tema, «Covid 19: Abordagens Terapêuticas – doentes ventilados, não ventilados e com patologias associadas».

As primeiras palavras proferidas pela Ministra da Saúde foram dirigidas ao Magnífico Reitor da Universidade Privada de Angola (UPRA), Prof. Doutor Carlos Pinto de Sousa, ao Promotor da UPRA e patrocinador da vídeo-conferência, Doutor Manuel João, ao Vice-reitor para os Assuntos Científicos, Pós-graduação e Extensão, Prof. Doutor José Ribeiro e ao Vice-reitor para os Assuntos Académicos, Prof. M. Doutor Azancot de Menezes.

A governante angolana felicitou a realização do evento, principalmente, “pela interacção com um país experiente no tratamento de casos da Covid-19”, um acontecimento inédito em Angola, por ter acontecido pela primeira vez uma discussão médico-científica, com especialistas do Brasil e de Angola, em torno de “abordagens terapêuticas da Covid-19”.

 

Intervenções de alto nível científico garantiram sucesso do evento

A vídeo-conferência «Covid 19: Abordagens Terapêuticas – doentes ventilados, não ventilados e com patologias associadas» realizada em Angola contou com o famoso médico especialista brasileiro do Centro Universitário ABC do Brasil, o Prof. Doutor Doutor David Uip, especialista em infectologia, Reitor do Centro Universitário da Faculdade de Medicina ABC, dirigente do  Instituto de Infectologia Emílio Ribas, membro do corpo clínico do Hospital Sírio-Libanês, bem como coordenador do Centro de Contingência para Coronavírus em São Paulo, Brasil.

A equipa técnica do Prof. Doutor David Uip que participou neste debate incluiu o Prof. Doutor Carlos Carvalho, Director da Divisão de Pneumologia do Incor HCFMUSP coordenador das UTI Covid-19 HCFMUSP e a Prof. Doutora Tânia Mara Varejão Strabelli, Médica Infectologista.

Prof. Doutor David Uip

Este encontro médico-científico promovido pela Universidade Privada de Angola e pelo Centro Policlínico Universitário (CEPOU), parceiro estratégico da Faculdade de Ciências da Saúde da UPRA, foi moderado por Dilman Damas, médica angolana especialista em infectologia.

Dra. Dilman Damas, moderou a vídeo-conferência

 

Experiência do Brasil na gestão dos pacientes com Covid-19

O encontro médico-científico abordou a situação do coronavírus no Brasil e especificamente na cidade de São Paulo, onde foi transmitida a experiência no controlo epidemiológico da Pandemia por Covid-19, as medidas de prevenção.

A informação de que a faixa etária mais afectada é a terceira idade e há muitos poucos casos na juventude e em crianças foi partilhada no encontro e também foram mencionadas as medidas de prevenção orientadas pelo Ministério da Saúde do Brasil que coincidem com as orientadas a nível internacional.

Na opinião do Dr. Carlos Socarrás, Director da Faculdade de Medicina da UPRA, o encontro médico-científico teve singular importância porque foi transmitida:

A experiência do Brasil na gestão dos pacientes, como eles fazem o isolamento domiciliário dos pacientes com resultados positivos de Covid-19, assintomáticos ao nível domiciliário com monitorização frequente por médicos e enfermeiros, aferição da oxigenometria, ingestão e abundantes líquidos e repouso em casa sob isolamento com uso obrigatório de máscaras dentro de casa, distanciamento social (2 metros), bem como alimentação adequada e antipiréticos se necessário”.

Em relação aos pacientes internados, referiu o Dr. Socarrás da Faculdade de Medicina da UPRA:

Seguem-se os protocolos pré-estabelecidos pelo Ministério da Saúde brasileiro tendo em conta a gravidade de cada paciente e o seu tratamento nas salas de cuidados intensivos onde se personalizam os cuidados são sempre atendidos por um grupo multidisciplinar até a recuperação final ou não”.

 

Hospitais e clínicas também aderiram à iniciativa da UPRA

Entre outras organizações angolanas de saúde, participaram neste importante encontro médico-científico, o Centro Policlínico Universitário / CEPOU (Luanda), a Clínica Multeperfil (Luanda), a Cínica Girassol (Luanda), o Hospital Sanatório de Luanda, o Hospital Militar de Luanda, o Hospital Américo Boavida (Luanda), o Hospital Geral de Benguela, o Hospital Municipal do Cuanza Norte e o Hospital Municipal de Talatona.

Auditório da Universidade Privada de Angola

Segundo apurou o Jornal Tornado junto da Administração do Centro Policlínico Universitário (CEPOU), o encontro realizado no dia 23 de Julho de 2020:

revestiu-se de importância extraordinária porque contribuiu para estimular a interacção médico-científica com outras universidades estrangeiras, em particular aquelas que têm muita  experiência, como é o caso do Centro Universitário ABC, com o objectivo de estimular as pesquisas e o conhecimento cientifico”

A vídeo-conferência envolveu 56 participantes on-line, representantes de organizações da saúde e académicas, e 30 presenciais, número de inscrições controladas para garantir o distanciamento físico entre as pessoas.


por Luís dos Santos, Angola


Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a Newsletter do Jornal Tornado. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

 

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -