Diário
Director

Independente
João de Sousa

Terça-feira, Maio 24, 2022

Museu do Ciclismo Joaquim Agostinho abriu em Torres Vedras

Joaquim Ribeiro
Joaquim Ribeiro
Jornalista

Em Torres Vedras abriu recentemente um museu dedicado ao ciclismo e a Joaquim Agostinho, natural daquele concelho, considerado como o melhor ciclista português de sempre. O projecto começou a ser desenhado em 2013.

O novo espaço está instalado no edifício onde funcionava o refeitório daquela que foi a maior empresa industrial da região, a Casa Hipólito. No local da antiga fábrica está hoje uma área com grandes superfícies comerciais, mas o imóvel do refeitório foi adquirido pela Câmara Municipal pelas suas características arquitectónicas.

“Somos um concelho de ciclismo e de ciclistas”, afirmou a presidente da Câmara Municipal, Laura Rodrigues. Sobre o local onde agora se encontra o museu, a autarca sublinhou tratar-se de “uma escolha feliz”, recordando que “era na Casa Hipólito que trabalhava uma legião de operários, grandes apoiantes do ciclismo, como resultado das vitórias e da notoriedade trazida à época por torrienses como João Roque, Leonel Miranda e Joaquim Agostinho”.

O presidente do Conselho Consultivo do Museu do Ciclismo Joaquim Agostinho, Eduardo Marçal Grilo, destacou a “consagração do ciclismo como uma modalidade que merece um museu como este”. Nas palavras de Marçal Grilo, Joaquim Agostinho “tem uma história que se confunde com a história do ciclismo português e este museu vai, certamente, prestar essa homenagem a um dos maiores atletas portugueses”.

As qualidades desportivas e humanas e o reconhecimento internacional de Joaquim Agostinho foram evocados pelo secretário de Estado da Juventude e do Desporto. “É fundamental e é um grande contributo que sai de Torres Vedras para o aumento da cultura desportiva no nosso país”, sublinhou João Paulo Rebelo, que, à semelhança dos outros oradores, destacou o contributo do falecido presidente da Câmara Municipal, Carlos Bernardes, para que este museu se tornasse realidade.

Entre as várias personalidades que estiveram presentes, destaca-se a esposa de Joaquim Agostinho, Ana Agostinho, os antigos atletas Leonel Miranda, Artur Lopes e Cândido Barbosa, assim como o mecânico de Joaquim Agostinho, Francisco Araújo. O momento contou, ainda, com a presença do secretário de Estado Adjunto e do Desenvolvimento Regional, Carlos Miguel, do presidente da Federação Portuguesa de Ciclismo, Delmino Pereira, e do director-geral da Volta a Portugal, Joaquim Gomes.

Às intervenções seguiram-se visitas guiadas ao Museu do Ciclismo Joaquim Agostinho, seguindo-se o arranque da primeira etapa da Volta a Portugal em Bicicleta.

Durante o mês de Agosto as entradas no Museu do Ciclismo Joaquim Agostinho são gratuitas.

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -