Diário
Director

Independente
João de Sousa

Domingo, Outubro 24, 2021

Impeachment Já para salvar o Brasil do fascismo, do retrocesso e da fome

Francisca Rocha
Secretária de Assuntos Educacionais e Culturais do Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo (Apeoesp), secretária de Saúde da Confederação Nacional dos Trabalhadores na Educação (CNTE) e dirigente da Central dos Trabalhadores e das Trabalhadoras do Brasil, seção São Paulo (CTB-SP)

Já passa da hora de tirar Jair Bolsonaro do cargo que ele nunca deveria ter ocupado. Ele mostrou total incapacidade para governar o Brasil. Nem setores da elite e do empresariado suportam as diatribes do pior presidente que o Brasil já teve.

Ele somente chegou ao poder por causa de uma política contra os interesses populares e nacionais com a implantação do neoliberalismo, via golpe de Estado em 2016. A eleição de Bolsonaro representou a coroação desse processo excludente, de desmonte do Estado e contra as conquistas mais importantes da classe trabalhadora e dos direitos humanos.

O ódio de classe nunca esteve tão evidente no país e como estratégia para tiras as filhas e filhos de quem vive do trabalho da escola tem sido contundente. Coma falta de projetos do governo federal e a política neoliberal do ministro da Economia, Paulo Guedes, aprofunda a crise afunda o país. Bolsonaro é subserviente aos interesses dos Estados Unidos e, mesmo sem Donald Trump no governo estadunidense, continua submisso.

O Real nunca esteve tão desvalorizado e a economia novamente está voltada para a exportação, com abandono do mercado interno. Por isso, o desgoverno corta verbas da agricultura familiar, os preços dos alimentos sobem, além do botijão de gás, da gasolina e de todos os itens da cesta básica.

Os resultados desastrosos da reforma trabalhista fizeram o desemprego chegar nas alturas, milhões de pessoas já desistiram de procurar trabalho. Isso aliado à precarização e ao forte crescimento da informalidade. E o desgoverno não faz nada para acabar com a crise. Aliás, só faz aumentar.

Desde que tomou posso em janeiro de 2019, iniciou intensos ataques á educação, cortando verbas do ensino básico, das universidades e institutos federais, da pesquisa e da ciência. Ataca as artes e os artistas, não investe no esporte e elitiza a educação.

Corta verbas da saúde pública. A gestão do Ministério da Saúde da pandemia foi um completo desastre. Já morreram mais de 580 mil brasileiras e brasileiros, a maioria das mortes totalmente evitável.

A reforma tributária que propõe beneficia os ricos e onera os mais pobres e a classe média. E ainda tenta impor uma ditadura, como fez no Dia da Independência – 7 de setembro. Juntou seus seguidores, cada vez em número menor, e tentou golpear a democracia. Felizmente falhou, recuou, mas ninguém assegura que não tente novamente.

Por isso tudo, é urgente a união de todos os setores da sociedade que defendem a democracia e os direitos humanos. A nossa luta é pelo impeachment já. Para a implantação de um projeto de desenvolvimento nacional com valorização do trabalho. Investir  na indústria, na agricultura familiar. Combater a fome, a concentração de riquezas e o desemprego.

Essencial lembrar que sem investimentos na educação, a realização desses projetos para tirar o Brasil da crise ficam terrivelmente prejudicados. O povo brasileiro merece muito mais e nós vamos conseguir tirando Bolsonaro da Presidência e mobilizando a classe trabalhadora para retomar as conquistas fundamentais de quem vive do trabalho para se ter uma vida digna para todas as pessoas, sem distinção de idade, gênero e cor. Justiça e liberdade com respeito às pessoas.


Texto em português do Brasil

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -