Diário
Director

Independente
João de Sousa

Sexta-feira, Outubro 22, 2021

É oficial: Trump é candidato

arena

Donald Trump aceitou a nomeação do Partido Republicano para presidente no Quicken Loans Arena, em Cleveland. O seu discurso de 1h15m retratou os EUA como “uma nação humilhada no estrangeiro e sob ameaça em casa”.

Trump afirmou: “A nossa convenção decorre num momento de crise para a nossa nação. Os ataques à nossa polícia e o terrorismo nas nossas cidades ameaçam a nossa própria forma de vida. … Eu tenho uma mensagem para todos vós: o crime e a violência que hoje afligem a nossa nação poderá em breve, e quero dizer muito em breve, chegar ao fim. No início de Janeiro de 2017, a segurança será restaurada.”

trump

Durante o seu discurso, Trump reiterou os seus objectivos prioritários: a proibição de imigração proveniente de países que sofreram recentes ataques terroristas e a construção de um muro na fronteira do México com os EUA.

“Temos de suspender de imediato a imigração a partir de qualquer nação que tenha sido comprometida pelo terrorismo”…”Vamos construir um grande muro de fronteira para impedir a imigração ilegal, para parar os gangs e a violência e para impedir que a droga continue a entrar nas nossas comunidades”.

Um protesto mediático surgiu, ainda durante os trabalhos, através de um membro do movimento Pink Code .

Medea Benjamim, do movimento Pink Code, interrompeu o discurso de Trump, empunhando um cartaz onde se lia “construir pontes e não muros!” O protesto desviou a atenção das câmaras do discurso de Trump.

medea-benjamin-arrestedBenjamin foi forçada a abandonar a sala, acompanhada por elementos da segurança. Já no exterior, disse ao Democracy Now que terá sido interrogada pelos serviços secretos. E acrescentou; “Eu tinha lido o discurso antecipadamente, por isso sabia exactamente quando queria interromper. Quando ele disse Eu sou a tua voz,  levantei-me e disse: Você não é a minha voz. A sua voz é de ódio, de sentimentos anti-imigrantes, da islamofobia e da misoginia. Nós precisamos de alguém para construir pontes e não muros.”

Terminada a Convenção, as reacções ao discurso não se fizeram esperar

O anterior dirigente do Ku Klux Klan David Duke, escreveu no twitter: “Grande discurso de Trump, América em primeiro lugar! Parem as Guerras! Derrotem as elites corruptas! Protejam as nossas fronteiras! Comércio justo! Eu não o poderia ter dito melhor!”

Contudo, a maioria dos comentários não foi nada abonatória

De acordo com o The Washington Post, o discurso foi um “compêndio do status de apocalipse. Os números foram referidos fora de contexto, os dados foram manipulados e, por vezes, os factos citados estavam errados”.

Alicia Garza, co-fundadora do movimento #Black Lives Matter escreveu no twitter “Não sei o que estou a ver neste momento mas este é o tipo de discurso que Hitler faria”

Também Ted Cruz, que se retirou da corrida, recusa agora apoiar Trump e afirmou “Não tenho por hábito apoiar pessoas que atacam a minha mulher e o meu pai”.

Em vez de manifestar apoio a Donald Trump, Cruz fez um apelo, no seu discurso, na Convenção: “Votem de acordo com a vossa consciência” o que provocou fortes apupos por parte da assistência.

john-kasichO governador do Estado do Ohio, John Kasich justificou a sua ausência da Convenção: “Quando nos regemos por princípios, por vezes ficamos sozinhos”.

John Kasich seria, segundo o New York Times noticiou, a opção de Trump para vice-presidente o que Kasich teria recusado. Os serviços de campanha de Donald Trump já vieram negar tal intenção e reafirmam que a escolha sempre foi Mike Pence, actual governador do Estado do Indiana.

Protestos no exterior

No exterior do local da Convenção verificaram-se acções de protesto levadas a cabo por activistas. Estes contrariam agora, as informações da Polícia no que respeita às detenções efectuadas no exterior do recinto.

activistas-protesto

A Polícia afirma ter desfeito o protesto e efectuado 18 detenções depois de um homem ter incendiado a bandeira americana. Por seu lado, os activistas negam que tenha ocorrido qualquer queima de bandeiras e que este foi apenas um pretexto para efectuar detenções. Um dos detidos é Gregory Lee “Joey” Johnson. Em 1984, em uma acção de protesto durante a Convenção Nacional Republicana em Dallas, Johnson queimou uma bandeira.

Esse acto levou a uma acção em Tribunal, em 1989 e abriu um precedente por ter sido considerado que queimar a bandeira é uma manifestação da liberdade de expressão.

code-pinkNota da Edição:

“Code Pink: Women for Peace” (Código Rosa: Mulheres pela Paz) é uma Organização não-governamental (ONG)  que se descreve como “Movimento pela Paz e Justiça Social, que trabalha para acabar com as guerras e ocupações fomentadas pelos EUA, para desafiar o militarismo global e para redireccionar os recursos para os Serviços de Saúde, a Justiça Social, a Educação, o Trabalho “verde” e outras actividades promotoras da Vida”

Fontes: NYT, WP, CNN, DN

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -