Diário
Director

Independente
João de Sousa

Segunda-feira, Fevereiro 6, 2023

OGE de Timor-Leste marginaliza agricultores, jovens-estudantes e trabalhadores

J.T. Matebian, em Timor-Leste
J.T. Matebian, em Timor-Leste
Correspondente em Timor-Leste.

O Partido Socialista de Timor (PST) afirmou em Conferência de Imprensa realizada no dia 2 de Dezembro em Díli que o Orçamento Geral do Estado para 2023 marginaliza os agricultores, jovens-estudantes e trabalhadores.

Segundo o PST, em que foi porta-voz na Conferência de Imprensa o Coordenador do Município de Bobonaro, o conhecido ex-guerrilheiro das FALINTIL e antigo quadro da FRETILIN, Domingos Doutel Soares, o VIII Governo Constitucional da RDTL “não espelha nenhum plano de desenvolvimento Nacional credível para resolver os graves problemas do país”, sendo:

 “… mais um orçamento para esvaziar a capacidade do Estado e situar, cada vez mais e sempre, os agricultores, os trabalhadores, os jovens-estudantes nas periferias do eixo do desenvolvimento Nacional, da Nação que todos deram a vida para nela se edificar a RDTL”.

Comunicado do Bureau Político do PST de 22/Dez/2023

O PST alerta para o facto do texto do OGE apresentado pelo VIII Governo Constitucional  ser um documento incompleto, por frustrar os eleitores, devido à ausência de informação fundamental necessária a uma reflexão estrutural da situação actual sob o ponto de vista económico, social e político, porque, premeditadamente, não apresenta indicadores necessários à correcta análise da proposta orçamental para 2023.

“O documento do OGE apresentando pelo VIII Governo Constitucional prevê  despesas e receitas da Administração Central e da Segurança Social para 2023, sem se referir a indicadores económicos fundamentais tais como o PIB, a taxa de desemprego, a inflação, a redução da dívida, entre outros, portanto, não facultando aos eleitores indicadores básicos para uma análise correcta e séria do OGE, nem um relatório com informação detalhada sobre as receitas e despesas do Sector Público Administrativo”

Comunicado do Bureau Político do PST de 22/Dez/2023

Militantes do PST reunidos em Díli (2022)

Ensino superior público gratuito e plano nacional de formação de quadros

O OGE proposto para 2023 pelo VIII Governo, com base na exposição do seu plano financeiro, refere o PST,

não inclui percentuais necessários e suficientes para melhorar de forma prospectiva e significativa o sistema educativo, onde se incluem os diferentes níveis de ensino, com destaque para o ensino superior e a investigação científica, e outros sectores fundamentais da sociedade…”.

Comunicado do Bureau Político do PST de 22/Dez/2023

Neste sentido, o partido que ajudou a eleger José Ramos-Horta a Presidente da República, reclama ao Estado a concepção de um “plano estratégico nacional de formação de quadros”  e defende a partir de 2023 um “ensino superior público totalmente gratuito para todos os estudantes, garantindo o acesso ao ensino superior e equidade”, bem como, o incremento da “investigação científica” no país.

Fundo para agricultores, jovens-estudantes e trabalhadores

O porta-voz do PST referiu-se igualmente à criação de um Fundo para apoiar os mais vulneráveis, nomeadamente agricultores, jovens-estudantes e trabalhadores.

Coordenado do PST do Município de Bobonaro (Domingos Doutel Soares)

Conforme se pode ler no Comunicado de Imprensa distribuído aos órgãos de comunicação social presentes na Sede Nacional do Partido, é preciso:

Definir um fundo de investimento para apoiar e subsidiar os agricultores no desenvolvimento da agricultura nas Knuas ou Aldeias, em todo o país;

Estabelecer um sistema de Crédito que permita ao Sector Privado Nacional ou a uma rede de cooperativa Nacional ter acesso ao crédito sem juros, nos primeiros cinco anos, para o estabelecimento de centros de processamento (indústrias) e compra de todos os produtos agrícolas produzidos pelos agricultores;

Estabelecer um fundo social para apoiar todos os trabalhadores organizados em cooperativas sectoriais nos locais onde trabalham para adquirir acção social nas empresas;

Estabelecer um fundo de apoio aos jovens e estudantes para os apoiar no desenvolvimento das suas capacidades e financiar as suas despesas diárias;

Analisar as receitas provenientes dos impostos e taxas de importação com vista a determinar uma política de produção e protecção  aos produtos agrícolas e das indústrias nacionais”.

Comunicado do Bureau Político do PST de 22/Dez/2023

A reivindicação colocada tem como objetivo criar condições para o desenvolvimento nacional integrado e erradicar as diferenças existentes na sociedade que foi causada pela política orçamental dos últimos cinco anos.

O PST referiu que Timor-Leste é uma Pátria de agricultores e o investimento neste sector não deve ser retardado:

A agricultura terá que ser a base impulsionadora para o crescimento económico e para o desenvolvimento de uma economia nacional sem qualquer ordem de assimetrias e desigualdades.

Defendemos que o orçamento geral do Estado terá que ser um instrumento para a eliminação gradual das diferenças entre as cidades e o campo e a criação de condições iguais para toda a população”.

O Comunicado de Imprensa do PST foi assinado pelo Presidente do Partido (Avelino Coelho / Shalar Kosi, F.F.), pelo Secretário-Geral (Azancot de Menezes) e pelo Coordenado do Município de Bobonaro (Domingos Doutel Soares).

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -