Diário
Director

Independente
João de Sousa

Quarta-feira, Dezembro 8, 2021

Portugal afasta-se da média Zona Euro

Jorge Fonseca de Almeida
Economista, MBA, Pos-graduado em Estudos Estratégicos e de Segurança, Auditor do curso de Prospectiva, geoeconomia e geoestratégia, Doutorando em Sociologia

De acordo com a edição de Março de 2017 do FocusEconomics Consensus Forecast – Euro Area publicada esta semana, Portugal vai continuar a divergir dos seus parceiros da Zona Euro nos próximos 5 anos.
A FocusEconomics agrega as previsões macroeconómicas produzidas de forma independente por um conjunto de investigadores e instituições produzindo depois uma análise própria sobre a evolução da economia europeia no contexto mundial.

Para Portugal o documento aponta um crescimento lento que se traduz por uma maior divergência com os seus parceiros da zona do Euro. Se em 2015 o PIB per capita português se situava em 14º lugar entre os 19 países da zona Euro, em 2021 ocuparemos a 15ª posição, sendo ultrapassados pela Estónia.

Quando em 2003 a União Europeia se alargou a Leste com a inclusão simultânea de 10 novos países, 8 de Leste mais o Chipre e Malta, as elites portugueses repetiram à exaustão que Portugal era a favor deste alargamento e que se tratava de países pobres que não fariam concorrência aos produtos portugueses.

Passados menos de 15 anos destes 10 países três já nos ultrapassaram Eslovénia, Chipre e Malta, um está a par, a República Checa, e os outros aproximam-se. Em 2021 o número destes países que nos ficará à frente crescerá para cinco com a ultrapassagem da Estónia e da República Checa.

Todos assistimos a inúmeras deslocalizações de multinacionais rumo ao Leste europeu e à forte concorrência que esses países fazem em múltiplas categorias de produtos em que Portugal tinha tradição.

Naturalmente que essa miopia política se paga pesadamente, com o atraso do país, a emigração de milhares de portugueses, a pobreza de centenas de milhares de cidadãos, realidades que se traduzem na perca de lugares nos rankings do PIB per capita.

Hoje os mesmos que defenderam o alargamento vendem as virtudes do Euro, continuando sem perceber os constrangimentos que essa opção tem sobre a economia nacional e as vidas dos portugueses.

Nos últimos anos, principalmente depois da desastrosa adesão do país ao Euro, Portugal atrasou-se e permitiu que os seus concorrentes europeus o ultrapassassem.

Seguindo uma política de renúncia aos instrumentos macroeconómicos de ordem orçamental e monetária, apostando na dívida pública para não tributar as empresas, incentivando a divida privada empresarial em detrimento do reforço dos capitais próprios, permitindo a fuga de capitais para offshores, recusando a intervenção estatal na economia, privatizando empresas estratégicas, nomeadamente no âmbito das energias e das telecomunicações, subsidiando atividades improdutivas, deixando nas mãos de estrangeiros as principais indústrias exportadoras, Portugal tem vindo a afundar-se e a perder a sua viabilidade política e económica.

Urge uma nova política que corte com a moeda única, promova a renegociação da dívida externa, dê maior centralidade ao papel do Estado como motor da economia e reforce o papel da Defesa polo impulsionador de inovação e crescimento económico.

Ordem País 2015 % da Média Zona Euro
 1 Luxemburgo 90.970 290,96%
 2 Irlanda 55.192 176,53%
 3 Holanda 39.944 127,76%
 4 Austria 39.427 126,11%
 5 Finlândia 38.223 122,25%
 6 Alemanha 36.874 117,94%
 7 Bélgica 36.609 117,09%
 8 França 33.934 108,54%
 9 Itália 27.001 86,36%
 10 Espanha 23.170 74,11%
 11 Malta 21.562 68,97%
 12 Chipre 20.779 66,46%
 13 Eslovénia 18.696 59,80%
 14 Portugal 17.245 55,16%
 15 Grécia 16.182 51,76%
 16 Estónia 15.424 49,33%
 17 Eslováquia 14.515 46,43%
 18 Lituania 12.840 41,07%
 19 Letónia 12.260 39,21%
Média zona Euro 31.265

Ordem País 2021 % da Média Zona Euro
 1 Luxemburgo 104.643 286,71%
 2 Irlanda 67.506 184,96%
 3 Holanda 47.257 129,48%
 4 Austria 45.777 125,42%
 5 Alemanha 44.133 120,92%
 6 Finlândia 44.106 120,84%
 7 Bélgica 41.728 114,33%
 8 França 39.028 106,93%
 9 Itália 29.990 82,17%
 10 Espanha 29.004 79,47%
 11 Malta 28.046 76,84%
 12 Chipre 24.600 67,40%
 13 Eslovénia 23.212 63,60%
 14 Estónia 20.820 57,04%
 15 Portugal 20.252 55,49%
 16 Grécia 19.445 53,28%
 17 Eslováquia 18.847 51,64%
 18 Lituania 18.267 50,05%
 19 Letónia 16.531 45,29%
Média zona Euro 36.498

Fonte: FocusEconomics Consensus Forecast – Euro Area, Março 2017

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -