Diário
Director

Independente
João de Sousa

Quinta-feira, Fevereiro 22, 2024

Quase 70% dos habitantes de Díli preocupados com falta de infra-estruturas

M. Azancot de Menezes
M. Azancot de Menezes
PhD em Educação / Universidade de Lisboa. Timor-Leste

De acordo com os resultados da sondagem sob responsabilidade da Asia Foundation divulgada este mês há vários indicadores reveladores do sofrimento da população timorense em relação à situação económica e social de Timor-Leste.

A pesquisa da Asia Foundation revela que 68% dos habitantes de Díli estão preocupados com o acesso à água e ao saneamento básico, e 29% dos residentes da capital timorense estão inquietados com o desemprego.

Segundo a informação divulgada pela Lusa sobre os resultados desta pesquisa, no resto do país, o futuro económico de Timor-Leste é indicado como o maior problema (35%), à frente de preocupações como a corrupção (11%), estradas (10%) e desemprego.

Os resultados desta sondagem não causam surpresa e enquadram-se nas estatísticas já divulgadas pelo PNUD (2014) reveladoras de que Timor-Leste regista desigualdades elevadas, quer no domínio do desenvolvimento humano, quer na educação, porque tem muitas debilidades no que respeita ao acesso aos bens e serviços fundamentais e às infra-estruturas básicas.

Apesar de Timor-Leste dispor de importantes recursos naturais, a pobreza e a exclusão social são preocupantes, crescem de forma exponencial e o actual governo, até ao momento, mostrou-se incapaz de produzir políticas públicas que possam contornar esta calamidade.

 

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -