Diário
Director

Independente
João de Sousa

Terça-feira, Novembro 30, 2021

“Saúde não é mercadoria”, diz Chico Buarque em campanha pelo SUS

Campanha “O Brasil precisa do SUS” quer mobilizar a sociedade por recursos para investir em saúde em 2021.

O Sistema Único de Saúde (SUS) é o maior serviço de saúde pública do mundo e saúde não é mercadoria, defende o cantor, compositor e escritor Chico Buarque em vídeo parte da campanha “O Brasil precisa do SUS”, com lançamento previsto para a próxima terça-feira (15).

O lançamento poderá ser acompanhado pelo YouTube a partir das 14h. Um dos objetivos da campanha, capitaneada por organizações de saúde, é mobilizar a sociedade a fim de garantir investimentos em saúde para 2021. Os valores previstos no orçamento para o próximo ano são inferiores aos de 2020 em R$ 40 bilhões de reais. No vídeo para a campanha, Chico Buarque diz que o SUS não pode ser sucateado.

“O SUS é simplesmente o maior serviço de saúde pública do mundo. Isto não é ufanismo, não é patriotada. Especialmente nesses tempos de pandemia, o SUS tem servido de exemplo mundo afora. A característica principal do SUS é ser um serviço universal, ou seja, atendimento a qualquer pessoa, desde os casos mais simples até os procedimentos mais complexos”, afirma Chico na peça.

“O SUS pode ser melhorado, pode ser aperfeiçoado? Claro que pode. O que ele não pode ser é sucateado, ele não pode ser sacrificado. Saúde não é mercadoria”, conclui o artista.

 

As entidades por trás da campanha “O Brasil precisa do SUS” vêm se mobilizando pela saúde pública desde o início da pandemia do novo coronavírus. Em junho, realizaram a Marcha pela Vida, uma marcha virtual para pedir seriedade no enfrentamento à pandemia, que na época havia matado mais de 118 mil brasileiros – hoje são mais de 180 mil. No início de julho, diante da inoperância do governo, as organizações lançaram um Plano Nacional de Enfrentamento à Pandemia.

Participam da mobilização, entre outras, a Associação Brasileira de Saúde Coletiva (Abrasco), Centro Brasileiro de Estudos de Saúde (Cebes), Associação Brasileira Rede Unida (Rede Unida), Associação Brasileira de Economia em Saúde (ABrES), Associação Brasileira de Saúde Mental (Abrasme). Mais informações estão disponíveis no site www.frentepelavida.org.br.


por Mariana Branco, Jornalista   | Texto em português do Brasil

Exclusivo Editorial PV / Tornado


 

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -