Diário
Director

Independente
João de Sousa

Domingo, Novembro 28, 2021

Actriz marroquina impedida de apresentar queixa depois de violentamente agredida

A actriz Loubna Abidar, estrela do filme “Much Loved”, no qual interpretou a personagem de uma prostituta, foi violentamente agredida em Marrocos, onde o filme foi proibido.

Num vídeo publicado nas redes sociais, entre lágrimas e com o rosto em sangue, a actriz de 29 anos explica que as autoridades não lhe permitiram apresentar queixa. Loubna Abidar divulgou o vídeo no Facebook na sexta-feira, depois de ter sido violentamente atacada em Casablanca, Marrocos. Os agressores deixaram-lhe o rosto desfigurado e inchado, com um corte aberto na sobrancelha.

“Fui agredida e os médicos, as clínicas e as esquadras da polícia recusaram receber-me”, relata a jovem actriz, que desempenhou o papel principal no filme do realizador franco-marroquino Nabil Ayouch, que descreve o quotidiano das prostitutas em Marrakech. “Fui ao comissariado central de Casablanca e o agente da polícia riu-se e disse-me “Finalmente, Abidar levou uma sova!”

loubna-abidar

Loubna Abidar, que é regularmente alvo de ameaças e de expressões de ódio nas redes sociais, recebeu ameaças de morte de meios extremistas em Marrocos, uma situação que levou Nabil Ayouch a pedir em Maio que as autoridades marroquinas garantissem protecção às actrizes do seu filme.

“Tudo isto por causa de um filme que nem sequer viram”, diz a actriz marroquina na gravação. “Vocês viram apenas o que as autoridades marroquinas vos quiseram mostrar. Julguem-me com base no filme”, acrescenta Loubna, que recebeu o prémio de melhor actriz no Festival de Cinema Francófono de Angoulême em Agosto.

O governo marroquino declarou recentemente interdita a exibição nas salas de cinema do país de “Much Loved”, apresentado durante o último Festival de Cannes, argumentando que o filme representa “uma ofensa grave aos valores morais e à mulher marroquina”.

Nelson Rodrigo Pereira, em Genebra, Suíça

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -