Diário
Director

Independente
João de Sousa

Segunda-feira, Dezembro 4, 2023

Albert King morreu há 23 anos

Grande guitarrista e cantor de blues foi vítima de ataque cardíaco

Albert king 4A 21 de Dezembro de 1992, faz hoje 23 anos, faleceu Albert King, um dos maiores guitarristas e cantores de blues, mas também um compositor de excelência. Albert King morreu aos 68 anos, em Memphis, vítima de ataque cardíaco. Verdadeiro “King” dos blues, Albert King Nelson era grande em tudo: na sua invulgar estatura física e na sua extraordinária forma de interpretar os blues, na guitarra eléctrica, mas também na sua voz.

Nascido numa plantação de algodão em Indianola, no Mississipi, cedo o jovem Albert se cruzou com a música, cantando num coro de “Gospel” numa igreja local em que o pai tocava guitarra. Filho de uma família pobre e numerosa (tinha doze irmãos), Albert King, a exemplo da família, dedicou-se à dura vida da apanha do algodão, no Arkansas. Mas, ao mesmo tempo, foi desenvolvendo a sua técnica de guitarrista de blues e acabaria por se dedicar completamente à música quando se juntou a uma banda local, The Groove Boys. Mais tarde, seria mesmo baterista na banda de Jimmy Reed, mas foi quando se mudou para Chicago que a sua careira de “bluesman” teria um impulso crucial.

Na Capital dos Blues, Chicago, Albert King, influenciado pelos lendários “bluesmen” Blind Lemon Jefferson e Lonnie Johnson, dedilha a guitarra eléctrica como ninguém. E essa guitarra – uma Gibson Flying V – tem mesmo nome próprio: Lucy. Albert King trata a sua Lucy com paixão, tornando-se num dos maiores guitarristas de blues eléctricos de sempre.

ALBERT KING 2O seu primeiro single data de 1952, gravado em Chicago, mas só em 1962 iria lançar o seu primeiro álbum – “The Big Blues” –, que incluía uma canção que foi o seu primeiro hit — “Don’t Throw Your Love On Me So Strong“.  Dos seus 15 LPs editados, saliente-se o extraordinário álbum “Born Under a Bad Sign”, onde Albert King assina uma inspirada mancheia de temas que se iriam tornar em verdadeiros clássicos dos blues. A começar pela canção que dá título ao disco. (ver vídeo)

Mas Albert King, para além das obras em nome próprio, participou também em gravações e espectáculos com outros famosos músicos. Neste capítulo, saliente-se a excelente colaboração com o guitarrista Stevie Ray Vaughan, também ele já desaparecido, pois morreu em 1990, mas justamente considerado como “o mais negro” dos guitarristas brancos. Este encontro entre os dois “bluesmen” está editado em disco e em DVD, com o título de “Blues Jam Session”.

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -