Diário
Director

Independente
João de Sousa

Quarta-feira, Junho 19, 2024

As big band nacionais | Orquestra de Jazz do Algarve

José Alberto Pereira
José Alberto Pereira
Professor Universitário, Formador Consultor e Mestre em Gestão

A Orquestra de Jazz do Algarve (OJA) foi fundada em 2004 pelo trompetista Hugo Alves, sendo a única orquestra de jazz profissional a sul do país. A orquestra conta com 18 músicos permanentes, incluindo vozes. A OJA pode atuar nos mais diversos espaços e eventos, dada a sua versatilidade de repertórios, que incluem seis programas básicos e respetivas variações: Count Basie, Big Band Standards (com voz feminina/masculina), Basie-Sinatra (com o crooner Ricky Taylor), 80’s and Beyond, Latin-Jazz e Natal. Além de concertos para o grande público, também atua em eventos privados, com a formação completa ou com formações mais pequenas adaptadas os espaços de atuação.

A OJA é um marco no panorama nacional das orquestras de jazz, com um cadastro de centenas de concertos que a levaram a palcos como os do Festival de Jazz de Loulé, Festival Lagos Jazz, A Arte da Big Band (Lisboa), Festa do Jazz do S. Luiz (Lisboa), Festival de Jazz de Minde, OJAJazzFest, entre outros. Destacam-se ainda alguns convites especiais como o da Assembleia da República para atuar na Sala do Senado ou outros como a Praça do Rossio, em Lisboa, ou a Espanha.

A OJA tem acolhido vários músicos de renome, como sejam Bobby Medina (EUA), Antonio Ciacca (Itália), Michael Lauren (EUA), Guto Lucena (Brasil), Peter Wetherhill (EUA), Lars Arens (Alemanha), Miguel Martins (Portugal), José Meneses (Portugal), Luís Cunha (Portugal), Peter King (Inglaterra), Maria Anadon (Portugal) ou Arturo Serra (Espanha), entre muitos outros. Em termos discográficos a OJA possui dois trabalhos publicados: “Invites” (2011) e “Redux em Sexteto” (2012).

Formalmente a OJA é uma associação com inúmeras atividades, sendo um projeto apontado como único a nível nacional. Desde a sua criação tem uma estratégia definida, denominada Estrutura OJA, que se reparte em três áreas de ação: (1) artes de palco e do espetáculo; (2) serviço educativo e multimédia; (3) produção e co-produção. A primeira compreende a OJA e cinco formações acessórias, nascidas desta. O serviço educativo tem por base o Atelier de Jazz e Música Moderna do Algarve, escola que reúne mais de 25 alunos e que inclui workshops por especialistas, bem como o Programa Jazz na Escola, que propicia sessões sobre jazz às escolas básicas e secundárias do Algarve. Na área de produção e co-produção incluem-se o ciclo de concertos “Jazz Com Todos” o Festival Lagos Jazz, e o OJAJazzFest.

A Estrutura OJA é um projeto dos mais completos projetos a nível nacional, reconhecido largamente pela importância que tem desempenhado em divulgar a música e o jazz no País, na formação de músicos, na formação de públicos de todas as idades, e sobretudo pelos espetáculos musicais de elevada qualidade que tem proporcionado. A OJA tem assim também representado a Região do Algarve, bem como os dois concelhos que a albergaram, Lagos e Silves. Desde setembro de 2014 todo o projeto OJA reside em Lagoa, contando com o apoio da respetiva Câmara Municipal.

 

Vídeos

 

Fotos: Página do Facebook da OJA Orquestra de Jazz do Algarve Por opção do autor, este artigo respeita o AO90

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante  subscrevendo a Newsletter do Jornal Tornado. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -