Diário
Director

Independente
João de Sousa

Terça-feira, Outubro 26, 2021

Bolsonaro, triste figura na teleconferência do G-20

Tereza Cruvinel, em Brasília
Jornalista, actualmente colunista do Jornal do Brasil. Foi colunista política do Brasil 247 e comentarista política da RedeTV. Ex-presidente da TV Brasil, ex-colunista de O Globo e Correio Braziliense.

“Será muito interessante ver o que dirá Bolsonaro nesta reunião. Como no Brasil, estará isolado, por ter ficado contra a ciência, o bom senso, a experiência e, sobretudo, por estar relegando as vidas a segundo plano, em detrimento da economia”

Está na agenda de Bolsonaro. Ele participa agora de manhã de uma teleconferência entre os governantes dos países do G-20, grupo que congrega as vinte maiores economias do mundo, incluindo os emergentes, para discutir a pandemia.  Ali também estará isolado, como no Brasil, se tiver coragem de, contra todos, defender o fim do isolamento social, com o confinamento seletivo de velhos e doentes, e a volta dos mais jovens ao trabalho para salvar a economia, ainda que ao custo de milhares de mortes.

Entre os governantes do G-20, sua maior afinidade é com Donald Trump, mas também este já se rendeu à força do coronavirus e adotou o isolamento social. Contra a inevitável recessão econômica, Trump vai entregar o pacote de dois trilhões de dólares aprovado pelo Senado. Boris Johnson, primeiro-ministro inglês, quebrou a cara com a defesa da imunização da população pela contaminação de uma grande parte dos ingleses e adotou rigorosa quarentena.  A Índia também participa do grupo. E com população de l,3 bilhão de pessoas, adotou o isolamento social para evitar uma explosão sinistra da doença. Em sentido contrário,  talvez os governantes da Itália e da Espanha, países em que o vírus mais galopa e mata, reconheçam que estão pagando caro por terem demorado a tomar medidas mais drásticas. A chanceler da Alemanha, Angela Merkel, a governante  europeia que mais se tem destacado na crise por sua conduta de estadista, deve ter uma participação destacada na reunião. Não passará a mão na cabeça de leniente algum.  Entre emergentes, estará a Argentina, onde o presidente Alberto Fernandes vem tomando medidas exemplares, seja no combate à doença, seja na criação de mecanismos de proteção económica e social.

Enfim, será muito interessante ver o que dirá Bolsonaro nesta reunião. Como no Brasil, estará isolado, por ter ficado contra a ciência, o bom senso, a experiência e, sobretudo, por estar relegando as vidas a segundo plano, em detrimento da economia.


Texto original em português do Brasil



Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a Newsletter do Jornal Tornado. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

 

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -