Diário
Director

Independente
João de Sousa

Sábado, Junho 22, 2024

Qual é a vossa, ó Bruxelas?

João Vasco AlmeidaEstais cansados de tanta patranha sobre o Orçamento? Já não podeis com as ameaças tipo pai tirano com que o Esquentador Junkers nos brinda de Bruxelas? Estais a ver tudo andar para trás, como faz a burra? E atrás está o Passos, que ganhou as eleições apesar de ter posto o povo a comer penhoras?

Ora, leitor amigo, razão tem Medina Nostradamus Carreira, que na sua meridiana clareza já avisou que gastamos mais 10 mil milhões do que o que temos. Assim, todos os anos nos faltam dez e cresce a dívida. Por isso, razão tem António Costa e o ministro Centeno, que defendem que ou se põe dinheiro na mão às pessoas e às empresas ou isto não anda. Razão tem o Marco António e o PSD, que dizem que se sobe a despesa perante um mundo onde as economias estão todas no buraco, as exportações pevide e nós abóbora.

Quem tem razão mesmo é o Comissário Europeu Stradivárius, ou lá como se chama o homem, que implica connosco por não lhe enchermos as medidas compensatórias da nossa despesa farta sem rendimentos. E no meio disto tudo razão tem o Jerónimo de Sousa e a Catarina, que estão com o PS e não abrem, porque o que interessa é acabar com o garrote.

Percebido? Não há pão, todos ralham.

A economia europeia, velha e habituada a que o Reino Unido avance, a França e a Alemanha copie e a Itália e Espanha produzam, a preços módicos, está algures entre o século XIX e o XX. A escravatura plena das fábricas asiáticas está a morrer porque, malditos seres humanos, até os escravos querem iphones e aqueles jipes que não são jipes, sem deixarem de ser escravos. A Rússia, o Brasil e a Índia, as fabriquetas mundiais dos últimos 30 anos estão nas mãos do caos político. O petróleo, por causa da trapalhada que o Bush arranjou entre sunnis e xiitas, está a cinco tostões. Em suma, as pensões não podem subir e o IVA não pode descer porque Xangai anda doente.

Em Bruxelas há um grupo de betos a mandar nisto tudo. Foram todos da tua turma. Eram as meninas que se sentavam à frente e os meninos que aos 12 falavam muito bem e já tinham namoradas. Tu pouco de aproximavas dessa gente.

Olha, entenderam-se todos uns com os outros, enquanto tu andavas a pensar na vida.

Quem manda, agora, são eles, advogados nomeados e eleitos a defender os credores e o patronato.

Mas, escuta, é só puxar uma pontinha.

José Mário Branco – Qual é a tua, ó meu

Qual é a tua, ó meu?
Andares a dizer “quem manda aqui sou eu”?
Qual é a tua, ó meu?
Nesse peditório o pessoal já deu.

Com trinta por uma linha
Esburacaste a Liberdade
E a Alegria
É só puxar a Pontinha
Cai o Carmo e a Trindade
No mesmo dia

Com tanta Ladra no mundo
O teu Rato andava à caça
de Sapadores
Quanto mais a dor Dafundo
Menos a gente acha Graça
Aos ditadores

(Refrão)

O Intendente semeou
O Desterro e o Calvário
Sem nenhum dó
Mas Santa Justa acordou
Porque a Voz do Operário
Não Fala-Só

Pedes Ajuda e Mercês
Mas só Palhavã vais pondo
No nosso prato
Engarrafa-se o Marquês
E cai o Conde Redondo
Mais o Beato

(Refrão)

Sem Socorro, ardeu-te a tenda
E tu ficas Entrecampos
A ver se escapas
Mas como não tens Emenda
Vais com Baixa de sarampo
Para a Buraca

Não é possível meter
Águas Livres numa Bica,
Como tu queres
Quem pensa assim, podes crer,
Campo Grande onde Benfica
É nos Prazeres

(Refrão)

Leia outros artigos de João Vasco Almeida

 

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

- Publicidade -

Outros artigos

1 COMENTÁRIO

Comentários estão fechados.

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -