Diário
Director

Independente
João de Sousa

Terça-feira, Novembro 30, 2021

Crentes e ateus se unindo para dar aos que estão passando fome

Marcos Aurélio Ruy, em São Paulo
Jornalista, assessor do Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo

Com uma seleção de canções para reforçar a esperança do futuro de um jeito que somente a música pode fazer, cinco músicas cantam a vontade de superar o ostracismo vivenciado nestes tempos obscuros, mas mesmo assim “eu canto”, diria o poeta amazonense Thiago Mello.

Além de autores brasileiros de gêneros distintos, esta edição homenageia a cantora Joan Baez, que no dia 9 de janeiro completou 80 anos. Como uma das mais importantes cantoras do mundo, emprestou a sua voz pela paz, pelos direitos humanos e por uma vida digna a todas as pessoas. Merece ser homenageada como artista e como cidadã.

Eduardo Gudin e Roberto Riberti

A primeira desta série é “Velho Ateu”, de Gudin e Riberti, dois nomes do samba paulista. Grandes compositores na estrada há muitos anos. Aqui cantam: “Se eu fosse Deus a vida bem que melhorava/Se eu fosse Deus daria aos que não tem nada”. Muito atual para mostrar a necessidade de suplantar preconceitos e unir as forças para combater a miséria e as desigualdades.

Dois ótimos exemplos para contradizer Vinicius de Moraes (1913-1980)e sua afirmação de que “São Paulo é o túmulo do samba”. Não é nem nunca foi.

“Um velho ateu, um bêbado cantor, poeta
Na madrugada cantava essa canção, seresta
Se eu fosse Deus a vida bem que melhorava
Se eu fosse Deus daria aos que não tem nada
E toda janela fechava
Pr’os versos que aquele poeta cantava
Talvez por medo das palavras
De um velho de mãos desarmadas”

Velho Ateu (1978), de Eduardo Gudin e Roberto Riberti

 

Charlie Brown Jr.

Entre as bandas de rock brasileiras mais ouvidas, o grupo Charlie Browh Jr. nasceu em 1992 e acabou em 2013 com a morte do seu líder Chorão, aos 42 anos. A canção escolhida “Tamo Aí na Atividade” porque circula pelo Instagram vídeos em que as pessoas aparecem dublando Chorão para responder a pergunta “Por que você não vota em Bolsonaro?” e a resposta vem: “Eu nasci pobre/Mas não nasci otário”.

“Eles querem que você se sinta mal
Pois assim eles se sentem bem
Eu nasci pobre
Mas não nasci otário
Eu é que não caio
No conto do vigário
Eu tenho fé em Deus
Pra resolver qualquer parada
Chega com respeito
Na minha quebrada
Eu não vim pra me explicar
Eu vim pra confundir
Eu não vim pra me explicar
Vem cá, seu cu de burro
Eu vou te dar um esculacho
Sua atitude é de playboy
Porque sua vida é muito fácil
Vencer na vida no mundão
É pra quem tem coragem
Um dia eu levo ela
Pra ver o pôr do sol da laje
Tamo aí na atividade
Tamo aí na atividade
Tamo aí na atividade
Me basta que venha do surf
Me basta que venha do skate
Basta que venha do coração
Basta que venha da mente
Me basta que venha do surf
Me basta que venha do skate
Basta que venha do coração
Basta que venha da mente
Eles são gente
Mas não são gente
Como a gente
Eles são gente
Mas não são gente
Como a gente
Meu estilo de vida
Liberta minha mente
Completamente louco
Mas um louco consciente
Tamo aí na atividade
Tamo aí na atividade
Tamo aí na atividade
Agora sei
O quanto é precioso o nosso tempo
A gente tem que dar valor
Certas coisas não tem preço
O fato é que a gente
Tem que se preservar
Viver intensamente
Com a cabeça no lugar
Não, eu não me sinto mal
Eu sobrevivo a todo lixo
Todo ódio, com amor
Eu sou o valor das coisas simples
Eu dou valor pras coisas simples, eu…
Não, eu não me sinto mal
Eu quero mais é que eles queimem
Na fogueira das vaidades
Eu dou valor pras coisas simples
Eu sou o valor das coisas simples, eu…
Mas me diz, então
O que da vida posso ter?
Como o mundo deve ser?
Com as balizas do nosso sistema
Me diz, então
O que da vida posso ter?
Eu tenho fé em Deus
Pra resolver qualquer problema
Eu nasci pobre
Mas não nasci otário
Eu é que não caio
No conto do vigário
Tenho fé em Deus
Pra resolver qualquer parada
Chega com respeito
Na minha quebrada
Tamo aí na atividade
Tamo aí na atividade
Tamo aí na atividade
Me basta que venha do surf
Me basta que venha do skate
Me basta que venha do coração
Basta que venha da mente
Me basta que venha do surf
Me basta que venha do skate
Me basta que venha do coração
Basta que venha da mente
Eles são gente
Mas não são gente
Como a gente
Eles são gente
Mas não são gente
Como a gente
Meu estilo de vida
Liberta minha mente
Eu sou completamente louco
Mas um louco consciente”

Tamo Aí na Atividade (2004), de Champignon, Chorão, Pelado e Marcão (Charlie Brown Jr.)

 

Os Paralamas do Sucesso

Desde 1982 brilhando nos palcos, o grupo Os Paralamas do Sucesso cantam a diversidade brasileira com a expressa vontade de mudança para uma vida melhor e com liberdade. Sempre bom ter um disco dos Paralamas por perto.

“Todo dia o sol da manhã
Vem e lhes desafia
Traz do sonho pro mundo
Quem já não queria
Palafitas, trapiches, farrapos
Filhos da mesma agonia
E a cidade que tem braços abertos
Num cartão-postal
Com os punhos fechados da vida real
Lhe nega oportunidades
Mostra a face dura do mal
Oh alagados, Trenchtown, Favela da Maré
A esperança não vem do mar
Nem das antenas de TV
A arte de viver da fé
Só não se sabe fé em quê
A arte de viver da fé
Só não se sabe fé em quê
Todo dia o sol da manhã
Vem e lhes desafia
Traz do sonho pro mundo
Quem já não queria
Palafitas, trapiches, farrapos
Filhos da mesma agonia
E a cidade que tem braços abertos
Num cartão-postal
Com os punhos fechados da vida real
Lhe nega oportunidades
Mostra a face dura do mal
Alagados, Trenchtown, Favela da Maré
A esperança não vem do mar
Nem das antenas de TV
A arte de viver da fé
Só não se sabe fé em quê
A arte de viver da fé
Só não se sabe fé em quê
Alagados, Trenchtown, Favela da Maré
A esperança não vem do mar
Nem das antenas de TV
A arte de viver da fé
Só não se sabe fé em quê
A arte de viver da fé
Só não se sabe fé em quê
Alagados, Trenchtown, Favela da Maré
A esperança não vem do mar
Nem das antenas de TV
A arte de viver da fé
Só não se sabe fé em quê
A arte de viver da fé
Alagados, Trenchtown, Favela da Maré
A esperança não vem do mar
Nem das antenas de TV
A arte de viver da fé
Só não se sabe fé em quê
A arte de viver da fé
Mas a arte é de viver da fé
Só não se sabe fé em quê
A arte é de viver da fé
Só não se sabe fé em quê
A arte de viver da fé
Só não se sabe fé em quê
A arte é de que?
É de viver da fé (é de que?)
É de viver da fé”

Alagados (1986), de Bi Ribeiro,  Herbert Vianna e João Barone

 

Marisa Monte

A compositora e cantora Marisa Monte também abrilhanta as nossas mentes e corações há muitos anos com canções permanentes no imaginário popular. Por isso, “é melhor abrir” as portas “para ventilar” e arejar as mentes e assim vencer o obscurantismo.

“Nesse corredor
Portas ao redor
Querem escolher, olha só

Uma porta só
Uma porta certa
Uma porta só
Tentam decidir a melhor
Qual é a melhor

Não importa qual
Não é tudo igual
Mas todas dão em algum lugar

E não tem que ser uma única
Todas servem pra sair ou para entrar

É melhor abrir para ventilar,
Esse corredor”

Portas (2021), de Marisa Monte, Arnaldo Antunes e Dadi

 

Joan Baez

Aos 80 anos, Joan Baez continua nos presenteando com sua voz única, interpretando canções importantes para celebrar a vida, a natureza, a paz e o amor. Impossível passar pela vida sem ouvir a voz de Joan Baez, na estrada desde os anos 1960.

“Eu acredito em profecia
Algumas pessoas veem coisas que nem todos podem ver
E de vez em quando eles passam o segredo adiante
Para você e eu
E eu acredito em milagres
Algo sagrado queimando em cada arbusto e árvore
Todos nós podemos aprender a cantar as canções que os anjos cantam
Sim, eu acredito em Deus e Deus não sou eu
Eu viajei ao redor do mundo
Esteve em poderosas montanhas e contemplou o deserto
Nunca vi uma linha na areia ou um diamante na poeira
E conforme nosso destino se desenrola
A cada dia que passa, tenho certeza de que um pouco menos
Até meu dinheiro continua me dizendo que preciso confiar em Deus
E eu acredito em Deus, mas Deus não somos nós
Deus, no meu pequeno entendimento
Não importa o nome que eu chamo
Se eu acredito ou não, não importa nada
Eu recebo as bênçãos
Que cada dia na Terra é outra chance de acertar
Deixe esta pequena luz minha brilhar e enfurecer
Contra a noite
Só mais uma lição
Talvez alguém esteja assistindo e se perguntando o que eu tenho
Talvez seja por isso que estou aqui na Terra, e talvez não
Mas eu acredito em Deus e Deus é Deus”

God Is God (Deus É Deus), de Steve Earle

 


Texto em português do Brasil

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -