Diário
Director

Independente
João de Sousa

Terça-feira, Setembro 28, 2021

De que modo o novo plutónio pode afectar a ciência

Nélson Abreu, em Los Angeles
Engenheiro electrotécnico e educador sobre ciência e consciência. Descendente de Goa, nasceu em Portugal, e reside em Los Angeles.

Cientistas descobriram acidentalmente um novo composto sólido e estável de plutónio, o Pu (V), que poderá ter usos no armazenamento de resíduos nucleares.

Existem dois grandes obstáculos técnicos para tornar a energia nuclear mais amplamente aceitável pelo público.

Um deles é o desenvolvimento da segurança “walk-away”: a capacidade de falhar de maneira segura, mesmo com a perda de toda a acção de resfriamento. Existem novos projectos em desenvolvimento que prometem esse recurso. Sem medo de derreter total ou reacção “descontrolada”, o último obstáculo seria o que fazer com o lixo nuclear.

Alguns projectos afirmam que podem usar barras de combustível nuclear com mais eficiência, o que significa que o desperdício duraria centenas em vez de milhares de anos. No entanto, há uma nova esperança. Cientistas descobriram acidentalmente um novo composto sólido e estável de plutónio, o Pu (V), que poderá ter usos no armazenamento de resíduos nucleares.


Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a Newsletter do Jornal Tornado. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

 

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

Artigo anteriorChile, Sebastián Piñera
Próximo artigoCasa 58. Quem está?
- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -