Diário
Director

Independente
João de Sousa

Domingo, Outubro 24, 2021

Deposição da Cruz, Rogier Van Der Weyden

Guilherme Antunes
Licenciado em História de Arte | UNL

“Deposição da Cruz”, Rogier Van Der Weyden. Foi um dos mais notáveis e importantes pintores góticos flamengos.Uma das minhas referências da pintura flamenga, pelas suas soluções da perspectiva e das novidades iconográficas que criou.

Há equilíbrio perfeito da composição, com base na disposição simétrica das figuras e da intensidade dorida das suas faces. Os olhares das figuras estão horizontalizados e manifestam grande equilíbrio, bem como toda a estrutura compositiva. Esta pintura intensa, tem sido justamente considerada como uma obra-prima da maturidade do grande mestre flamengo.

Rogier van der Weyden 1400-1464

Ou Rogier de Bruxelles, cujo verdadeiro nome é Rogier de la Pasture. Ao ser proclamado pintor oficial da cidade de Bruxelas, adoptou o nome de Rogier van der Weyden, que era, notoriamente, um nome flamengo. Rogier trabalhou bastante em Bruxelas, especialmente na corte do Duque da Borgonha.

Rogier foi bastante aclamado durante a sua vida e vários pintores europeus, como Zanetto Bugatto, foram enviados para a sua oficina, para aprender com o mestre. A sua obra influenciou vários outros artistas como Hugo van der Goes, Hans Memling, Petrus Christus, Dieric Bouts, Gerard David, Joos van Cleve e Frans Floris.

Os seus quadros são hoje disputados pelos melhores museus e coleccionadores de todo o mundo, encontrando-se algumas das suas obras no Museu do Prado, em Madrid e no Museu do Louvre, em Paris.

Ilustração: Rogier van der Weyden, retrato efectuado por Cornelis Cort, 1572

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -