Diário
Director

Independente
João de Sousa

Domingo, Fevereiro 25, 2024

Design Thinking: uma mais-valia na criação de websites e apps

Alguma vez se deparou com o termo “experiência de utilizador”, também designado pela sigla UX? Este termo é muito usado actualmente e tem como objectivo melhorar websites e aplicações – e não só! – com base nas necessidades ou preferências do utilizador.

O Design Thinking está directamente relacionado com a experiência do utilizador e tem o mesmo objetivo, tornando-se uma mais-valia para todos os que pretendam criar – ou melhorar – uma app, um website ou qualquer outro projecto.

Antes de tudo, em que consiste o termo ‘Design Thinking’?

O Design Thinking é um método que pretende resolver problemas complexos ou desafios a que o utilizador está sujeito aquando o uso de um produto – neste caso uma aplicação para dispositivos móveis ou um website.

Ou seja, neste método os profissionais entendem os desafios a que os utilizadores estão sujeitos, encontram alternativas de design para minimizar esses mesmos desafios e fazem testes sucessivos com vista à melhoria.

Este processo baseia-se em algumas etapas que serão descritas mais abaixo.

Quanto aos benefícios deste processo, tem-se o facto de ser centrado no utilizador  – ou seja, existe mais empatia do que em outros métodos e, portanto, maior possibilidade de obter resultados –, a minimização de riscos – devido à consideração de diversas soluções, os riscos são minimizados – e o foco na solução – durante todo o processo é encontrada a melhor solução para o desafio ou problema enfrentado.

Alguns exemplos do uso do Design Thinking

Para que entenda melhor o termo, vamos mostrar-lhe dois exemplos de empresas que usaram o processo para melhorar os seus projectos.

Em primeiro lugar vamos falar da empresa Airbnb. Houve um momento em que a empresa estava perto de falir e os fundadores não entendiam o motivo, portanto decidiram usar o design thinking. Através do processo descobriram que o problema estava nas fotos de má qualidade que anunciavam os locais de alojamento. Claro que, nessas condições, os consumidores tinham receio de fechar negócio. A resolução do problema aumentou a companhia em 30%.

Outro exemplo é a Uber Eats. Através da implementação do design thinking foi descoberta uma nova possibilidade para os motoristas da Uber: a entrega de refeições de determinados restaurantes. O crescimento começou e hoje a empresa está à frente de muitas outras que já se encontravam no mercado.

Com base nos exemplos acima é fácil entender que este é um processo que pode oferecer bons resultados ao seu negócio.

Em que momentos e como é implementado este processo?

O processo é muito associado a áreas da tecnologia, mas o método pode ser usado em diversas outras áreas como nos negócios, na medicina, na arquitetura, em desportos e muito mais! Resumindo, sempre que existe um produto e um utilizador, o método pode ser usado.

Finalmente, quer saber quais as etapas deste processo?

1. Empatia

Antes de tudo, deve focar todos os seus esforços na pessoa, ou melhor, no consumidor. Tente colocar-se no lugar do mesmo, mas antes saiba responder a algumas questões como:

  • Qual o público-alvo?
  • Quais os desafios desse público e o que o mesmo valoriza?
  • O que esse público diz do seu projecto?

Conhecendo melhor a sua audiência, todo o processo fica mais fácil.

2. Definir o problema

O próximo passo é organizar toda a informação colectada no ponto anterior e olhar para a mesma de forma crítica de modo a entender os desafios que o utilizador enfrenta quando está perante o projecto; essa análise irá ajudar a definir o problema.

Lembrando que esse problema deve ter como foco o utilizador e não o negócio; queremos resolver um problema ou desafio que o utilizador enfrenta.

3. Idealizar

Finalmente são formuladas ideias que pretendem solucionar o problema definido. Neste processo podem surgir boas ideias, más ideias, ideias mais ou menos criativas, mas todas devem ser armazenadas. Porquê? Porque imagine que segue uma das ideias e a mesma não oferece os resultados esperados: tem uma lista completa com mais opções.

4. Protótipo

Com base nas melhores ideias, podem finalmente ser construídos vários protótipos. Esses protótipos serão submetidos a alguns testes de modo a preparar a melhor versão para um teste final.

5. Testar

O produto final é testado, mas, caso a solução não ofereça os resultados esperados, pode ser necessário voltar às etapas anteriores. Este retrocesso pode ser relativo ao problema definido ou a outro problema encontrado.

Apesar de ser um processo aparentemente simples, existe uma grande complexidade. Se necessitar de apoio na implementação do processo durante a criação de app, pode contactar os profissionais da Digital Works.

Todo o processo de Design Thinking é essencial para obter melhores produtos/projectos para os utilizadores. Claro que um utilizador satisfeito oferece pontos positivos para a empresa. Portanto de que está à espera para começar?


Receba regularmente a nossa newsletter

Contorne a censura subscrevendo a Newsletter do Jornal Tornado. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

 

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -