Diário
Director

Independente
João de Sousa

Quarta-feira, Junho 19, 2024

Eleições Europeias – Marisa Matias em Gaia

Marisa Matias deslocou-se à cidade de Gaia a convite de uma prestigiada Instituição a propósito da comemoração do seu 13° aniversário, onde, após um jantar alusivo à efeméride, tentou, numa “sessão de esclarecimentos” explicar o trajeto político recente do seu Bloco de Esquerda, mas também, a sua candidatura a Eurodeputada. Motivo central da sessão.

A Eurodeputada Marisa Matias não convenceu a plateia porque essa estava mais interessada em questiúnculas internas da política nacional objetivando as eleições Legislativas do que em tentar perceber qual o efetivo papel dos Eurodeputados e a sua influência política sobre os Parlamentos Nacionais através de Diretivas Legislativas e de regulação dos procedimentos numa panóplia de matérias que escapam ao cidadão comum por inércia ou desinteresse político estratégico dos envolvidos.

A eurodeputada Marisa Matias não convenceu. Nem nos argumentos, nem sequer nos princípios e, muito menos, nos “apartes”.

Sobre a massa salarial e suprimentos auferidos pelos eurodeputados não foi precisa centrando a resposta a uma pergunta do entrevistador sobre o seu vencimento líquido mensal de € 6.000,00 sem quantificar o valor global que aufere escudando-se de forma vastamente dúbia.

A três perguntas simples:

  1. Os eleitores nacionais sabem o que é e para que serve a União Europeia?
  2. Como pensa o BE combater a abstenção nas eleições para o Parlamento Europeu?
  3. Acredita a Marisa Matias no projeto Europeu e consegues explicar em que consiste?

A eurodeputada Marisa Matias, cabeça de Lista ao Parlamento Europeu pelo Bloco de Esquerda, não conseguiu produzir resposta eficaz e muito menos convincente ao escudar-se em respostas difusas, daquelas que não abonam uma classe de profissionais da atividade política ao sustentar que o faz por espírito de missão e não por obrigação profissional mesmo sendo por isso e, para isso, remunerada.

Disse que os Portugueses, hoje, sabem mais da Europa do que aquilo que sabiam aquando da adesão.

Disse também que o Bloco de Esquerda combate a abstenção com as ações de campanha política que faz.

Mais disse que, acredita na Europa, apontando exemplos da sua atividade com resultado político legal que enumerou, sem que, em algum montante, clarificasse que Europa quer e qual é o projeto de modelo político, económico e social que pretende para o espaço Europeu que a sensibilidade política a que é afeta em Bruxelas promove.

Conclusão

As eleições para o Parlamento Europeu continuam a ser, para o eleitorado, um tempo perdido em tricas com um objetivo claro: as eleições Legislativas.

Sobram as benesses dentro de portas para os parlamentares e as diretrizes fora de portas que os Países membros que o Parlamento Europeu emana.


Por opção do autor, este artigo respeita o AO90


Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante  subscrevendo a Newsletter do Jornal Tornado. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -