Diário
Director

Independente
João de Sousa

Quinta-feira, Abril 18, 2024

Elogio do PCP

Estrela Serrano
Estrela Serranohttps://vaievem.wordpress.com/
Professora de Jornalismo e Comunicação

 

Grupo Parlamentar do PCP

Contudo, o PCP sabe que essa demarcação não ameaça o apoio parlamentar que dá ao governo, baseado no acordo assinado entre as duas partes.

O PCP é um partido responsável, concorde-se ou não com a sua visão do País e do mundo. Jerónimo de Sousa tem sabido imprimir ao PCP uma liderança mais afectiva e próxima do povo, depois da liderança carismática e intelectual de Cunhal. Quem não se lembra da imagem de Jerónimo na campanha presidencial de 2009 em que era candidato, dançando alegre e descontraídamente?

Recentemente, o PCP teve ocasião de mostrar uma vez mais que sabe distinguir o trigo do joio. Falo da visita dos reis de Espanha à Assembleia da Repúlica quando os deputados do PCP se perfilaram de pé após o discurso do rei de Espanha. Também a presença do PCP na fila de cumprimentos a Filipe II e a Letícia no final da sessão foi um gesto de inteligência e cortesia. Os deputados do PCP não aplaudiram o discurso do rei, é certo, mas isso era expectável e o contrário seria até uma hipocrisia porque as posições do PCP sobre alguns do temas abordados pelo monarca são distintas e conhecidas. Com a sua coerência e sentido de Estado, o PCP mostrou uma enorme dignidade e disse aos portugueses que não confunde ideologia e visão partidária com o acolhimento institucional e o respeito devido ao chefe de Estado de um País amigo que visita a “casa” da República na qual o PCP é um dos anfitriões.

O PCP já tinha, aliás, dado um sinal da sua maturidade política quando recusou votar favoravelmente a proposta de alteração apresentada pelo PSD que obriga os administradores da Caixa Geral de Depósitos (CGD) a apresentarem as declarações de rendimentos no Tribunal Constitucional (TC), recusando assim colaborar na chicana política que foi a votação de uma “lei inútil” como lhe chamou, com razão, Jerónimo de Sousa.

Quando António Costa disse ao Público “Gosto do Jerónimo de Sousa e gostarei do Jerónimo de Sousa sempre qualquer que seja a função“, sinalizou precisamente o reconhecimento da lealdade que encontrou no líder do PCP durante o processo negocial que levou à formação do governo.

Por tudo isto e muito mais, o Congresso do PCP constitui um acontecimento político da maior importância para o País e não apenas para o partido, assim os jornalistas o reconheçam e lhe dêem a cobertura mediática merecida, sabendo interpretar as posições que vierem a ser manifestadas, sejam elas críticas ou não, separando, também eles, o trigo do joio.

Artigo publicado inicialmente no blog VAI E VEM

Nota do Director

As opiniões expressas nos artigos de Opinião apenas vinculam os respectivos autores.

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -