Diário
Director

Independente
João de Sousa

Terça-feira, Outubro 26, 2021

Encontro imaginário com Landru, Romy Schneider e Ataturk

Novo Encontro Imaginário na Barraca a céu aberto, Jardim de Santos. As personagens são Landru, Romy Schneider e Ataturk, interpretadas por Hélder Rafael, Sandra Calado e José Fernandes.

Em novo Encontro Imaginário, amanhã, 24 de Agosto, no jardim de Santos, onde estarão em debate novas personagens da História Universal.

Com participação da sociedade civil

Fique a conhecer melhor as personagens: Landru interpretado pelo arquitecto Hélder Rafael, Romy Schneider pela profissional de acção social Sandra Calado e Ataturk pelo militar de Abril José Fernandes.

Saiba quem são:

 

Landru

12 de Abril de 1869 – 25 de Fevereiro de 1922

Henri Désiré Landru foi um assassino em série francês, que recebeu a alcunha de Barba Azul.

Em 1914 Landru ficou viúvo e começou a trabalhar meio-período como comerciante de móveis. Nessa época ele resolveu colocar anúncios nos jornais de Paris buscando atrair viúvas para encontros com “intenção de matrimónio”. Com a I Guerra Mundial, muitos homens morriam durante o serviço militar, deixando muitas mulheres viúvas.

Landru iniciou os assassinatos, provavelmente por estrangulamento. Depois queimava e desmembrava os corpos das vítimas. Sem os corpos, as vítimas eram listadas como “desaparecidas” confundindo a polícia.

Em 1919, a irmã de uma das vítimas de Landru, Madame Buisson, denunciou o desaparecimento da mulher. Ela não sabia o nome verdadeiro, mas conhecia a aparência do assassino. Com essas indicações a polícia chegou a Landru, mas sem conseguir provar os assassinatos pois não foram localizados os corpos.

Somente encontrando os recortes dos anúncios e as correspondências enviadas e recebidas, inclusive para Madame Buisson, combinadas com outros documentos, foi que conseguiu propor a pena de morte para Landru.

Landru foi julgado em 11 de Novembro de 1921 e sentenciado à morte pela guilhotina, três meses depois.

Interpretação do arquitecto Hélder Rafael.

Romy Schneider

Romy Schneider era filha dos actores Magda Schneider e Wolf Albach-Retty, e muito bonita desde pequena.

Aos 17 anos, em 1955, Schneider tornava-se famosa ao viver Sissi, a Imperatriz-adolescente da Áustria, no filme do mesmo nome. Era uma personagem bonita, irreverente e capaz de quebrar todos os protocolos da nobreza europeia de forma a conquistar o jovem Imperador austríaco Francisco José e os seus súbditos.

Já famosa mundialmente a actriz recusou se a continuar a viver jovens princesas inocentes e partiu para filmes mais adultos, escandalizando os seus fãs em 1958 ao participar do filme Senhoritas de Uniforme, história de lesbianismo num colégio feminino. No mesmo ano Romy filmou Christine, e apaixonou-se perdidamente pelo seu galã, o então também jovem e promissor actor francês Alain Delon. Nessa época, encontrou Luchino Visconti que mudou radicalmente a sua trajectória de actriz, dando-lhe um papel sexy e digno de uma grande actriz em Boccaccio 70.

Romy morreu aos 43 anos de paragem cardíaca, em Paris, onde vivia com o terceiro marido, a filha e uma empregada. Ela vinha se tratando de uma profunda depressão pelo suicídio do primeiro marido e, logo depois, pela trágica morte do filho de ambos, que ao pular um portão, foi perfurado pelas setas da grade, e morreu na hora, com apenas 14 anos.

Interpretação da profissional de acção social Sandra Calado.

Ataturk

Salônica, 1881 — Istambul, 10 de Novembro de 1938

Mustafa Kemal Atatürk foi um oficial do exército, estadista revolucionário e fundador da República da Turquia, assim como o seu primeiro presidente.

Mustafa Kemal se estabeleceu como um líder militar extremamente capaz e inteligente enquanto servia como comandante de divisão na Batalha de Galípoli. Posteriormente lutou com bravura nas frentes de batalha da Anatólia e Palestina, conquistando algum renome para si durante a Primeira Guerra Mundial.

Com a derrota sofrida pelo Império Otomano às mãos dos Aliados, e os planos subsequentes para a partilha do seu território, Mustafa Kemal liderou o Movimento Nacional Turco naquela que se se tornaria conhecida posteriormente como a Guerra de Independência Turca; após estabelecer um governo provisório em Ancara, derrotou as forças enviadas pela Tríplice Entente.

As suas campanhas militares bem-sucedidas asseguraram a libertação do país e a proclamação da república no lugar do antigo governo imperial otomano. Como primeiro presidente da Turquia, Atatürk realizou um ambicioso programa de reformas políticas, económicas e culturais.

Um admirador do Iluminismo, Atatürk procurou transformar as ruínas do Império Otomano numa nação-Estado democrática e secular. Os princípios das reformas de Atatürk costumam ser chamados de “kemalismo”, e continuam a formar a fundação política do Estado turco moderno.

Interpretação do militar de Abril José Fernandes.

Encontros imaginários 2020

24 de Agosto

21h00

[email protected][email protected]

213 965 360 | 913 341 683

 

Jardim Nuno Álvares (Santos)
1200 – 808 Lisboa

Website do Teatro A Barraca


Os assinantes solidários do Jornal TORNADO têm Desconto de 20%, em dois bilhetes para o espectáculo.


Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a Newsletter do Jornal Tornado. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

 

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -