Diário
Director

Independente
João de Sousa

Sábado, Outubro 23, 2021

Encontro imaginário com Pedro Álvares Cabral, D. João VI e Pedro I do Brasil e Pedro IV de Portugal

Novo Encontro Imaginário na Barraca. As personagens são Pedro Álvares Cabral, D. João VI e Pedro I do Brasil e Pedro IV de Portugal, interpretadas por Rui Nery, Manuel Marcelino e Luís Nazaré.

Em novo Encontro Imaginário, dia 23 de Novembro, com novo horário – às 21h -, estarão em debate novas personagens da História Universal.

Com participação da sociedade civil

Fique a conhecer melhor as personagens: Pedro Álvares Cabral interpretado pelo musicólogo Rui Nery, D. João VI pelo gestor Manuel Marcelino e Pedro I do Brasil e Pedro IV de Portugal pelo gestor Luís Nazaré.

Saiba quem são:

 

Pedro Álvares Cabral

Belmonte, 1467 ou 1468 – Santarém, c. 1520

Foi um fidalgo, comandante militar, navegador e explorador português, creditado como o descobridor do Brasil.

Realizou a primeira exploração significativa da costa nordeste da América do Sul, reivindicando-a para Portugal.

Foi nomeado para chefiar uma expedição à Índia em 1500, seguindo a rota recém-inaugurada por Vasco da Gama, contornando a África. A sua frota afastou-se bastante da costa africana, e descobriram as terras que mais tarde constituiriam o Brasil.

Interpretação do musicólogo Rui Nery.

D. João VI

Lisboa, 13 de Maio de 1767 — Lisboa, 10 de Março de 1826

Cognominado O Clemente, foi rei do Reino Unido de Portugal, Brasil e Algarves de 1816 a 1822 (quando da independência do Brasil – que redundou na extinção do Reino Unido até então existente).

Obrigado a fugir de Portugal quando as tropas napoleônicas invadiram o país, no Brasil enfrentou revoltas liberais. Provou-se que morreu envenenado.

Deixou uma marca duradoura no Brasil, sendo considerado por muitos pesquisadores o verdadeiro mentor do moderno Estado brasileiro.

Interpretação do gestor Manuel Marcelino.

Pedro I do Brasil e Pedro IV de Portugal

Queluz, 12 de outubro de 1798 – Queluz, 24 de setembro de 1834

Apelidado de “o Libertador” e “o Rei Soldado”, foi o primeiro Imperador do Brasil como Pedro I de 1822 até sua abdicação em 1831, e também Rei de Portugal e Algarves como Pedro IV entre março e maio de 1826.

A eclosão da Revolução Liberal do Porto, em 1820, forçou a volta de João VI para Portugal em abril do ano seguinte, ficando Pedro II no Brasil como seu regente. Declarou a Independência do Brasil em 7 de setembro de 1822. Mais tarde, D. Miguel, irmão mais novo de Pedro, era aclamado como Rei de Portugal pelas cortes.

D. Pedro partiu para a Europa, iniciando uma guerra civil contra o seu irmão que venceu derrotando o Absolutismo e transformando – se em D. Pedro IV.

Interpretação do gestor Luís Nazaré.

Encontros imaginários 2020

23 de Novembro

21h00

[email protected][email protected]

213 965 360 | 913 341 683

 

A Barraca
Largo de Santos, 2
1200 – 808 Lisboa

 

Website do Teatro A Barraca


Os assinantes solidários do Jornal TORNADO têm Desconto de 20%, em dois bilhetes para o espectáculo.


Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a Newsletter do Jornal Tornado. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

 

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -