Diário
Director

Independente
João de Sousa

Sábado, Outubro 23, 2021

Idosos são os que mais se suicidam em Portugal

OlhosPercentagem de mortes por suicídio contraria a tendência mundial, em que o grupo etário 15-29 apresenta um maior número de mortes auto-infligidas.

Segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), cerca de 800 000 pessoas suicidam-se por ano, número que apresenta uma tendência de crescimento para os próximos anos. Contudo, a OMS admite que os números tenham uma larga margem de erro, uma vez que, em muitos países, há bases de dados muito pobres acerca deste tema e da própria mortalidade das populações.

Em Portugal, a estatística mais recente refere-se a 2013, com um total de 1.051 suicídios registados. Os dados do portal PORDATA mostram que este número ronda os 1000 casos desde 2007, ano em que se verificou uma subida exponencial, com mais 146 casos que em 2006. A população idosa é a que apresenta registos mais elevados, sendo mais agravados a partir dos 75 anos. Segundo o Plano Nacional de Prevenção do Suicídio (PNPS) para 2013-2017, o número de casos nesta faixa etária está muito associada à crescente debilidade física e psicológica destes indivíduos, sendo que 60 a 80% dos casos estão relacionados com depressões.

Também a nível mundial, segundo a OMS, cerca de 90% dos casos de suicídio estão relacionados com doenças neurológicas, embora haja vários outros motivos que levam os indivíduos a quererem deixar a vida.

No entanto, o grupo etário que a nível nacional se destaca nestas estatísticas contraria a tendência mundial, uma vez que são os indivíduos na faixa etária 15-29 que, segundo a OMS, mais se suicidam. Esta é indicada como a segunda maior causa de morte entre os jovens nestas idades. No caso português, a tendência para o suicídio na população jovem tem vindo a decrescer mas é ainda, segundo o PNPS, uma das três principais causas de morte do grupo etário 15-24.

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

Artigo anteriorO desejo de morrer na velhice
Próximo artigoUma vida
- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -