Diário
Director

Independente
João de Sousa

Segunda-feira, Outubro 25, 2021

Ettore Scola | O adeus

Ettore Scola

Morreu o realizador italiano Ettore Scola aos 84 anos. Internado desde domingo na unidade de Cardiologia do Hospital Policlínico em Roma, o cineasta italiano morre deixando um legado único para a cinematografia.

Nascido em Trevico, Avellino, em 1931, começou como jornalista e passou a guionista de cinema. Estreou-se como realizador com “Fala-se de Mulheres” em 1964. Scola era um dos mais respeitados cineastas do país. Venceu por duas vezes a Palma de Ouro do Festival de Cannes, pelos filmes “Feios, Porcos e Maus”, de 1976 e “A Família”, de 1987. Conquistou também três prémios César (o equivalente francês dos Óscares de Hollywood) com “O Baile” (1983, melhor realizador) e duas vezes de Melhor Filme Estrangeiro pelas películas “Nós Que Nos Amávamos Tanto” (1974) e “Um dia Muito Especial” (1977). O seu último filme foi um tributo ao compatriota Federico Fellini: filmou, em 2013, “Que Estranho Chamar-se Federico”. Marcello Mastroianni e Nino Manfredi foram dois dos seus actores de eleição.

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

- Publicidade -

Outros artigos

1 COMENTÁRIO

Comments are closed.

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -