Diário
Director

Independente
João de Sousa

Sexta-feira, Dezembro 9, 2022

EUA municiaram exército do Iêmen

iemen

“Em particular, os documentos mostram a prática de fornecimento de diferentes armamentos — aviões, navios, veículos… e recebimento pelo Iêmen dos sistemas biométricos norte-americanos”, de acordo com o site WikiLeaks.

Os documentos são de 2009 até o início do conflito, ou seja, março de 2015. Como relata o WikiLeaks, a guerra no Iêmen começou quando a secretária de Estado era Hillary Clinton e continuou quando ela foi substituída por John Kerry. A embaixada dos EUA no Iêmen fechou as portas em fevereiro de 2015 — um mês antes do início da guerra, fato lembrado pelo WikiLeaks.

Desde 2014, Iêmen é palco de um conflito armado. Em 2015, as forças da coalizão árabe entraram no conflito com a oposição. Um dos grupos inimigos é formado por uma parte do exército — os rebeldes-houthis do movimento xiita Ansar Allah, comporto por integrantes leais ao ex-presidente, Ali Abdullah Saleh.

Os outros envolvidos fazem parte das tropas do governo e milícias que são leais ao atual presidente, Abd Rabbo Mansour Hadi, e recebem apoio das forças dos EUA e da coalizão Árabe, liderada pela Arábia Saudita. Os bombardeios da coalizão são responsáveis pela morte constante de muitos civis.

Fonte: Sputnik
Texto original em português do Brasil

Nota do Director

Reproduzimos este artigo ao abrigo de um acordo de cooperação Portal Vermelho / Tornado.

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -