Diário
Director

Independente
João de Sousa

Quarta-feira, Fevereiro 8, 2023

Festival Internacional de Cinema de San Sebastián

José M. Bastos
José M. Bastos
Crítico de cinema

Museu de San Telmo

Do “glamour” dos Prémios Donostia ao apoio aos jovens realizadores e aos estudantes de cinema
Nos textos anteriores falámos das várias secções que constituíram a programação do festival e de alguns dos filmes que mais se destacaram.  Nesta última peça sobre o ZINEMALDIA focamos a atenção em alguns episódios de maior “glamour” e impacto mediático. Abordamos também as actividades de apoio à produção (sobretudo latino-americana) e à aprendizagem pelos estudantes de cinema, vertentes do certame que têm vindo a adquirir uma importância cada vez maior.

Prémios Donostia

Ethan Hawke e Sigourney Weaver

Como todos os outros festivais, o de San Sebastián também tem os seus prémios de carreira: os Prémios Donostia (designação basca da cidade). Este ano os distinguidos foram Ethan Hawke e Sigourney Weaver.

Quatro vezes nomeado para os Oscares, a actor texano Ethan Hawke deslocou-se a San Sebastián para receber o prémio e também enquanto protagonista de “The Magnificent Seven” (Os Sete Magníficos) de Antoine Fuqua, “remake” do western com o mesmo título realizado em 1960 por John Sturges (por sua vez baseado em “Os Sete Samurais” de Kurosawa), que foi exibido, fora da competição, na secção Zabaltegi-Tabakalera.

Com uma carreira de três décadas, Hawke, para além do seu trabalho como actor (no cinema e no teatro) é também guionista, realizador e escritor. Colaborador quase permanente de Richard Linklater, na interpretação e na escrita (“Antes do Amanhecer”, “Antes do Entardecer”, “Boyhood”, …), o actor foi também um dos protagonistas de “O Clube dos Poetas Mortos”.

A nova-iorquina Sigorney Weaver deslocou-se a San Sebastián pela terceira vez. Actriz de teatro, cinema e televisão, três vezes nomeada para os Oscares e duas vezes vencedora do Globo de Ouro, trabalhou com realizadores como Ridley Scott, Peter Weir, James Cameron, Mike Nichols, Roman Polanski, Ang Lee ou David Fincher. O seu trabalho mais recente é “A Monster Calls”, o novo filme de J.A. Bayona, que participou no festival na secção oficial mas fora de concurso.

Ethan Hawke e Sigourney Weaver passaram a fazer parte de uma lista que inclui os nomes de Gregory Peck, Bette Davis, Lauren Bacall, Susan Sarandon, Catherine Deneuve, Al Pacino, Robert de Niro, Isabelle Huppert, Woody Allen, Richard Gere, Meryl Streep, Julia Roberts, Dustin Hoffman  ou Denzel Washington, para citar apenas alguns dos anteriores galardoados com o Prémio Donostia.

Prémio ao Cinema Latino

Gael García Bernal

Pela primeira vez foi outorgado no âmbito do Festival o Prémio ao Cinema Latino. A personalidade escolhida para o receber foi o actor, realizador e produtor Gael García Bernal e a distinção foi entregue no Teatro Victoria Eugenia, na sessão de apresentação de “Neruda” do chileno Pablo Larraín, exibida na secção Perlas e de que Bernal é intérprete. O protagonista de “Amor Cão” e “E a tua Mãe Também” deslocou-se ao Festival pela terceira vez.

Richard Gere e os outros

Para terminar estas referências ao mediatismo da passagem pelo festival de algumas figuras, facto tão do agrado dos habitantes de San Sebastián, aqui fica o registo da presença de muitos dos realizadores e actores dos filmes exibidos.

Da secção oficial praticamente todos. Mas também, e mais discretos, actores como Isabelle Hupert, Hugh Grant, Monica Bellucci ou Lambert Wilson, ou realizadores como Hirokazu Kore-Eda, Oliver Stone, Terence Davies, Gianfranco Rosi, Paul Verhoeven, François Ozon ou Bertrand Tavernier, que suscitaram o interesse e a simpatia dos “donostiarras”.

O maior banho de multidão foi, contudo, para Richard Gere que mais uma vez se deslocou ao ZINEMALDIA, agora na qualidade de activista e defensor da causa da solidariedade e do apoio aos mais carenciados e que esteve presente na projecção de “Time Out of Mind” de Oren Moverman em que representa a figura de um sem-abrigo nova-iorquino.

Outros eventos

Para além da exibição de filmes o Festival de San Sebastián foi, mais uma vez, local de encontro de estudantes de cinema, de jovens realizadores em busca de apoios para a produção dos seus trabalhos e de muita gente ligada à indústria e à exibição. Foram inúmeros os eventos paralelos às sessões que congregaram muitas centenas de profissionais do cinema.

Cine en Construcción

Com o objectivo de apoiar a produção do cinema latino-americano com base em ajudas à finalização de películas em fase de pós-produção, os Festivais de San Sebastián e de Toulouse criaram uma parceria que desde 2002 tem vindo a proporcionar o aparecimento de muitos jovens importantes criadores.

O funcionamento é, pelo menos aparentemente, muito simples: uma série de títulos procedentes de países latino-americanos seleccionados pelos dois festivais são apresentados a um grupo composto por profissionais da indústria cinematográfica que se pronuncia sobre o mérito das propostas.

Os trabalhos premiados beneficiam de apoios financeiros e materiais que permitem que sejam concluídos. Desde a sua primeira edição “Cine en Construcción” possibilitou a finalização de muitas obras que têm inundado os mais importantes festivais mundiais e aí têm sido abundantemente premiadas.

Alguns dos mais conceituados cineastas latino-americanos da actualidade começaram as suas filmografias neste projecto: Celina Murga, Tristán Bauer, Federico Veiroj, Julio Hernández Cordón, Rigoberto Perezcano, Jorge Durán, Ciro Guerra ou Sebastián Silva, entre muitos outros.

Nesta edição do ZINEMALDIA  estiveram presentes seis projectos e o prémio foi para “La educación del Rey” do argentino Santiago Esteves que assim terá acesso à pos-produção, à legendagem em inglês e à distribuição em Espanha.

XV Encuentro Internacional de Estudiantes de Cine

Outro grande responsável por arrastar para o festival algumas centenas de participantes é este encontro que reúne estudantes de escolas de cinema de todo o mundo e que participam na exibição de curtas-metragens, em colóquios e em master classes. O presidente do júri desta secção na edição de 2016 foi o cineasta português João Pedro Rodrigues.

Os prémios distinguiram “Floor X” de Francy Fabritz do Berlin Film Conservatory (Alemanha) e “24º 51’- Latitud Norte” de Carlos Lenin Treviño do  Centro Universitario de Estudios Cinematográficos CUEC – UNAM (México).

As master classes estiveram a cargo dos franceses Bertrand Bonello (que competiu na secção oficial com “Nocturama”, filme que conquistou o prémio SIGNIS) e Jean-Gabriel Périot (participante na secção “Nuevos Directores” com “Lumières d’ été”) e do russo Ivan I. Tverdovsky (presente na secção Zabaltegi-Tabakalera com “Zoologiya”).

V Fórum de Coproducción Europa – América

Desde 2012 o ZINEMALDIA promove também este evento que procura impulsionar o desenvolvimento de projectos audiovisuais, fomentar a cooperação entre os profissionais e potenciar a abertura a novos mercados. Dirigido a projectos em desenvolvimento abrange candidatos da Europa e da América Latina. O vencedor deste ano foi “7:35 am” de Javier Van de Couter (Argentina).

Welcome Mr. Hitchcock

Welcome Mr Hitchcock

Corria o mês de Julho de 1958. O Festival de San Sebastián celebrava a sua 6ª edição. Entre os convidados estavam Kirk Douglas, Jean Marais, King Vidor, Anthony Mann, Carlos Saura, um jovem de 24 anos chamado Roman Polanski e o nosso Manoel de Oliveira.  No dia 21 , Alfred Hitchcock e a sua mulher aterraram no aeroporto de Biarritz.

No Festival estreava “Vértigo – A Mulher que viveu duas vezes”. Durante os quatro dias da estadia no País Basco o casal visitou Biarritz, Hendaye, San Sebastián, San Juan (Pasaia), Bayonne e Lourdes. A visita foi obviamente objecto de ampla reportagem fotográfica. Essa colecção de imagens deu origem à belíssima exposição “Welcome Mr. Hitchcock” que integra o programa da Cidade Europeia da Cultura e que esteve patente durante o 64º ZINEMALDIA. Visitámo-la durante o último dia em que estivemos em San Sebastián. Não poderíamos ter tido melhor despedida.

Festival Internacional de Cinema de San Sebastián

Parte 1

O balanço de um Festival de Cinema na Capital Europeia da Cultura. Numa competição frouxa a “Concha de Ouro” foi para um filme chinês

Fotografia noturna do Kursaal | ZINEMALDIA

Decorreu no final do passado mês de Setembro a 64ª edição do Festival de cinema San Sebastián o mais importante certame dedicado ao cinema que se realiza na Península Ibérica. O elevadíssimo número de espectadores, a quantidade de filmes exibidos, a afluência de profissionais dos vários ramos do cinema e uma enorme cobertura mediática pelas centenas de jornalistas acreditados fazem da manifestação basca um evento de dimensão sem paralelo para cá dos Pirinéus.

Ler artigo completo

Parte 2

O balanço de um Festival de Cinema na Capital Europeia da Cultura

Teatro Victoria Eugénia, e Tabakalera donostia San Sebastián | ZINEMALDIA

No texto anterior dedicado a este certame basco centrámos as nossas considerações na secção oficial e na mostra “Novos Realizadores”. A programação que foi disponibilizada a todos os que acorreram ao festival foi contudo muito mais vasta e muito do melhor cinema que se pôde ver estava nas restantes secções.

Ler artigo completo

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

Artigo anterior
Próximo artigo
- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -