Diário
Director

Independente
João de Sousa

Quinta-feira, Dezembro 9, 2021

Festival reúne na ilha de São Miguel cerca de 90 artistas

Festival - Walk&Talk
Walk&Talk – Cartaz

O Walk & Talk decorre de 15 a 31 de Julho, em São Miguel e, pela primeira vez, de 23 de Setembro a 01 de Outubro, na ilha Terceira, envolvendo cerca de 90 artistas de diversas áreas.

Ao todo, passam pela ilha até final do mês cerca de 90 artistas, incluindo o actor e encenador Pedro Zegre Penim que já está a trabalhar com o grupo de teatro A Pontilha de Ponta Delgada, os designers Miguel Flor, Sam Baron, Pedrita e VivóEusébio e muitos outros.

A programação deste ano mantém o circuito de arte pública, com artistas convidados que vão trabalhar no espaço público uma série de intervenções, desde design, arquitectura, arte mural, às instalações, revelou a organização.

O programa integra, ainda, a residência de artesanato com designers ilustradores que vão trabalhar com artesãos locais, desde o vime, à cerâmica e à tapeçaria. Haverão também espaços para o vídeo, fotografia, concertos e cinema.

Sábado, destaque para a estreia, no Teatro Micaelense, na cidade de Ponta Delgada, do espectáculo de dança contemporânea “Dance With Somebody”, de João dos Santos Martins, um projecto de residência artística nos Açores, em colaboração com a formação 37.25, núcleo de bailarinos açorianos de artes ‘performativas’.

Walk&Talk_cartaz“O festival tem crescido e tem-se alterado ao longo dos anos. Tem vindo a tornar-se um projecto cada vez mais multidisciplinar. No início, estava muito focado na questão da intervenção no espaço público, através essencialmente dos murais e, hoje em dia, já é um projecto completamente transversal”, afirmou Jesse James, director do festival, em declarações à agência Lusa.

O Walk & Talk está organizado “em quatro áreas”, um circuito de arte pública, o programa de residências artísticas, o programa simultâneas (na galeria do Walk & Talk, no centro de Ponta Delgada) e o programa de conhecimento, este último em colaboração com o Museu Carlos Machado, adiantou Jesse James.

Em seis anos, segundo a organização, o festival “já acolheu mais de 180 criadores e colectivos em residência, e para a apresentação de projectos inéditos que permitiram dotar a ilha de São Miguel, nos Açores, de um Circuito de Arte Pública que conta actualmente com cerca de 70 trabalhos, mapeados e visitáveis todo o ano”.

O festival Walk & Talk, organizado pela Associação Anda&Fala, realizou-se pela primeira vez em 2011, na cidade de Ponta Delgada, tem como objectivo estimular a criação no contexto cultural e geográfico específico dos Açores.

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -