Diário
Director

Independente
João de Sousa

Sábado, Setembro 18, 2021

Forte de Peniche: Defesa da memória, resistência e luta

forte-peniche-1

 

O governo anunciou a intenção de concessionar a privados trinta imóveis históricos, cujo uso se destina à actividade hoteleira e turística. Trata-se de entregar, por um período que pode ir até 50 anos, um conjunto de monumentos, património cultural decorrente da nossa história colectiva, a grupos privados para montarem o seu negócio, em detrimento da plena fruição pública.

Nesta lista encontra-se o Forte de Peniche, um dos mais significativos símbolos da luta antifascista em Portugal que se desenvolveu durante quase meio século. O Forte inclui um conjunto de edifícios com características históricas e valor simbólico e cultural, alguns com centenas de anos de existência, que encerram em si elementos sobre períodos e episódios importantes da nossa história colectiva, razão pela qual não devem ser alienados ou alteradas as suas características, nomeadamente físicas e de usos, apenas por mera vontade de interesses privados, independentemente das pressões que estes possam exercer.

O Forte de Peniche é uma das prisões políticas do Estado Novo (entre 1934 e 1974), para onde eram encaminhados os opositores ao regime de Salazar, nomeadamente, militantes do PCP. Em 1960, deu-se a célebre fuga de Peniche protagonizada por Álvaro Cunhal, Jaime Serra e Joaquim Gomes. Hoje, o espaço pode ser visitado estando preservadas algumas celas tal como existiriam até ao 25 de Abril.

“Os abaixo assinados democratas antifascistas, surpreendidos com as recentes notícias sobre a concessão do Forte de Peniche, empenhados na defesa da necessária preservação da memória e resistência ao fascismo e pelo respeito de milhares de portugueses que deram o melhor das suas vidas para que o povo português pudesse viver em liberdade, apelam ao Governo para que o Forte de Peniche permaneça património nacional, símbolo da repressão fascista e da luta pela liberdade. ”

A Petição está lançada e pode assiná-la, se assim entender.
É necessário validar a assinatura da mesma clicando no link do email de confirmação enviado pelo site

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -