Diário
Director

Independente
João de Sousa

Domingo, Setembro 26, 2021

Governo e partidos timorenses manifestaram dor pela morte de Jorge Sampaio

J.T. Matebian, em Timor-Leste
Correspondente em Timor-Leste.

O Governo de Timor-Leste transmitiu o “seu profundo pesar pelo falecimento do antigo Presidente de Portugal, Jorge Sampaio, que durante os seus mandatos em Belém sempre se bateu pelo exercício livre e democrático do direito à autodeterminação de Timor-Leste”.

Para além do Executivo da República Democrática de Timor-Leste (RDTL), chefiado por Taur Matan Ruak, o antigo Presidente Ramos Horta e o Partido Socialista de Timor (PST) também expressaram dor e pesar pelo falecimento do ex-Presidente Português Jorge Sampaio.

RDTL expressou oficialmente voto de pesar

A página oficial do governo de Timor-Leste datada de 10 de Setembro de 2021 tem como título “Voto de pesar pela morte de Jorge Sampaio”.

É de recordar que Jorge Sampaio, em 2016, já tinha sido homenageado com o «Grande Colar da Ordem de Timor-Leste», “em reconhecimento pela solidariedade e apoio activo na luta pela independência” de Timor-Leste.

Na altura, Taur Matan Ruak, manifestou:

o profundo reconhecimento pelo humanismo, as inúmeras expressões de solidariedade e o apoio activo com que, ao longo dos anos, alimentaram a luta pela liberdade, autodeterminação e independência de Timor-Leste”.

Em 2006, o Parlamento Nacional de Timor-Leste também já havia atribuído a Jorge Sampaio o título de «Cidadão Honorário da República Democrática de Timor-Leste».

 

PST e José Ramos Horta tristes com morte de Jorge Sampaio

O Partido Socialista de Timor (PST) refere em comunicado tornado público que o desempenho de Jorge Sampaio na luta pela libertação de Timor-Leste foi de elevada relevância:

 “Durante os mandatos públicos que desempenhou Jorge Sampaio apoiou de forma indefectível o direito do povo maubere à autodeterminação e independência e sempre denunciou em todo o mundo o genocídio e etnocídio do povo de Timor-Leste.

O Partido Socialista de Timor (PST) lamenta profundamente o falecimento deste grande político português, irmão de Timor-Leste, pelo que, em nome de todos os militantes e simpatizantes do Partido, expressa a mais justa homenagem à memória de Jorge Fernando Branco de Sampaio e apresenta à família enlutada as mais sentidas condolências”.

(M. Azancot de Menezes, Secretário-Geral do PST)

José Ramos Horta, antigo presidente da RDTL, também partilhou a sua dor ao afirmar que Jorge Sampaio se bateu:

“..intransigentemente pelo exercício livre e democrático do direito à autodeterminação de Timor-Leste“.

(José Ramos Horta, ex-Presidente da RDTL)

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -