Diário
Director

Independente
João de Sousa

Domingo, Agosto 14, 2022

História Militar de Portugal

Alexandre Honrado
Alexandre Honrado
Historiador, Professor Universitário e investigador da área de Ciência das Religiões

Ou a prova de que nunca fomos de brandos costumes

Estando a cem anos da nossa ativa e, se rastreada, inequivocamente traumatizante participação na Grande Guerra, parece, sob o ponto de vista editorial e da curiosidade, muito oportuna a saída a público de uma História Militar Portuguesa, sob a argúcia interpretativa de três historiadores Nuno Severiano Teixeira (coordenador), Francisco Contente Domingues e João Gouveia Monteiro – unidos pela temática, nem sempre pelos pontos de vista, mas assinalando com a sua biografia individual, e capacidade historiográfica e narrativa, a qualidade do produto partilhado.

História Militar

A História Militar de Portugal, com ousadia, corre perto de mil anos de acontecimentos violentos, marcantes, definidores da época e do que hoje somos, como seus herdeiros.

Da batalha de Ourique a Aljubarrota, da Restauração às Invasões Francesas, da Batalha de La Lys às missões no Líbano e no Afeganistão, das guerras liberais, à implantação da República, à ditadura militar, com a guerra colonial, em várias frentes, ainda o 25 de abril e a democracia – tudo consta deste atrevimento, que desmonta, sem feitiços, as crenças velhas e débeis, de sermos nós povos de brandos costumes, de termos vivido sempre no paraíso à beira-mar plantado, de costas voltadas para a dura realidade dos confrontos.

Esta História abre hostilidades no ano de 1096 e vem até aos nossos dias.

Analisa – recrutamentos, composição de exércitos, armadas e força aérea (de história bem mais recente),  não esquecendo a evolução do armamento e das tecnologias ao serviço da guerra – que, em muitos casos, é a tecnologia que permite a manutenção da paz, não se equivoque o leitor.

Arte da guerra

A arte da guerra – que tem cedências à etiqueta, à diplomacia e ao respeito pelo adversário – tão díspar da falta de arte dos conflitos à moda dos terroristas, por exemplo, ocupa boa parte da obra. Mas também as estratégias, as táticas e as operações – nada deixado de lado no extenso livro que ultrapassa as 700 páginas e que, mesmo para os pacifistas, é revelador em tantas passagens, dando-nos a possibilidade de compreender quem fomos antes deste ser quem somos, hoje tão espantado por roubos em paióis do exército ou pela displicência com que os mesmos nos chegam em mal contadas histórias.

LivroediçãoAutores

A Esfera dos Livros

Data de Publicação: junho 2017
Número de páginas: 744
Tipo de Capa: capa mole
Preço: A partir de €26,91

Francisco Contente Domingues,
João Gouveia Monteiro,
Nuno Severiano Teixeira (coordenação)

 

Por opção do autor, este artigo respeita o AO90

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

Artigo anteriorNa Vertigem da Traição
Próximo artigoO amor de novo
- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -