Diário
Director

Independente
João de Sousa

Quarta-feira, Julho 6, 2022

“Integral da Música de Câmara” de Joly Braga Santos em Cascais

No próximo dia 30 de Março, o Quarteto Lopes-Graça sobe ao palco do Museu da Música Portuguesa, em Cascais, para prestar homenagem ao grande compositor Joly Braga Santos.

Este evento integra-se no ciclo de concertos “Integral da Música de Câmara de Joly Braga Santos”, já iniciado em 2018, ano do 30.º aniversário da morte do compositor, e serve para celebrar a obra de música de câmara de uma das principais figuras da música portuguesa do século XX.

O quarteto de cordas, composto por Luís Pacheco Cunha (Violino), Maria José Laginha (Violino), Isabel Pimentel (Violeta) e Catherine Strynckx (Violoncelo) apresentará duas obras:

  • “Quarteto de Arcos nº1, op.4”, uma obra de 1945, dedicada a Luís de Freitas Branco, que por 35 minutos nos transporta de Allegro moderato a Allegro con fuoco, passando por Andante tranquillo, e Allegro molto energico e appassionato; e
  • “Quarteto de Arcos nº2, op.29”, de 1957 e dedicado a Maria José Braga Santos, em tons de Largo – Allegro moderato, Adagio molto – Andante con moto e Largo – Allegro molto vivace.

30 Março | Museu da Música Portuguesa | 18h00

Programas

Joly Braga Santos [1924-1988]
Quarteto de Arcos nº 1, op. 4 (1945) 35’00’’


Dedicado a Luís de Freitas Branco
Allegro moderato
Allegro con fuoco
Andante tranquillo
Allegro molto energico e appassionato

Joly Braga Santos [1924-1988]
Quarteto de Arcos nº 2, op. 29 (1957) 23’00’’


Dedicado a Maria José Braga Santos
Largo – Allegro moderato
Adagio molto – Andante con moto
Largo – Allegro molto vivace

Sobre o Quarteto Lopes-Graça

Composto por Luís Pacheco Cunha (Violino), Maria José Laginha (Violino), Isabel Pimentel (Violeta) e Catherine Strynckx (Violoncelo), o Quarteto Lopes-Graça formou-se em 2005 com o objectivo de dotar a Escola de Música do Conservatório Nacional (Lisboa) de um grupo de referência na área das cordas, com condições para desenvolver um trabalho permanente com output aos níveis da formação especializada em música de câmara (masterclasses de quarteto) e da promoção da escola, no país e no estrangeiro.

Desde então, afirmou-se como agrupamento de referência na sua área, tendo actuado nas mais importantes salas e eventos musicais do país: Festa da Música e Dias da Música do Centro Cultural de Belém; Casa da Música do Porto; Culturgest, Teatro São Luiz, Teatro da Trindade, em Lisboa; Encontros de Música do Alentejo, em Évora, entre muitos outros projectos e espaços culturais.

Em Maio de 2009 editou o seu primeiro projecto discográfico – um CD com obras de Fernando Lopes-Graça e António Victorino d’Almeida; em 2011 um novo álbum, em conjunto com o Opus Ensemble e o Duo Contracello, com as obras estreadas no Festival CRIASONS; e em 2014/2015 dois CDs com a obra integral de Fernando Lopes-Graça para Quarteto e Piano, com Olga Prats.


Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante  subscrevendo a Newsletter do Jornal Tornado. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

Caminhar

Boa pergunta

VER…

- Publicidade -