Diário
Director

Independente
João de Sousa

Sábado, Novembro 26, 2022

Morreu Max Stahl, jornalista que filmou os horrores do Massacre de Sta. Cruz

M. Azancot de Menezes
M. Azancot de Menezes
PhD em Educação / Universidade de Lisboa. Timor-Leste

Christopher Wenner, mais conhecido por Max Stahl, o jornalista que filmou os horrores do Massacre de Sta. Cruz, em Díli-Timor-Leste, morreu dia 28 de Outubro de 2021, na Austrália, vítima de doença prolongada.

No dia 12 de Novembro de 1991, após a divulgação das imagens filmadas no Cemitério de Sta. Cruz por Max Stahl, o mundo passou a ter um testemunho real da violação dos direitos humanos e do sofrimento do povo de Timor-Leste.

Efectivamente, dois depois do massacre, a holandesa Saskia Kouwenberg, coseu duas cuecas, fez sangrar o nariz, deixando cair sangue no tecido, envolveu a cassete nas mesmas e foi desta forma que retirou de Timor-Leste a grande prova do crime, a cassete com as imagens sangrentas e brutais do massacre.

Após a filmagem do massacre ter sido divulgada nos órgãos de comunicação social internacionais os povos de todo o mundo passaram a conhecer a violação dos direitos humanos em Timor-Leste e a luta pela autodeterminação e independência ganhou outro impulso.

(Vídeo com depoimentos de Max Stahl e de Gregório Saldanha, um dos sobreviventes do Massacre de Sta Cruz)

Max Stahl ganhou o direito de ter cidadania timorense e foi condecorado com o mais alto galardão nacional, o “Colar da Ordem da Liberdade”.

O povo de Timor-Leste perdeu um herói da luta de libertação nacional, perdeu um verdadeiro irmão, um homem simples e amigo de todos.

Que descanse em paz!

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -