Diário
Director

Independente
João de Sousa

Sexta-feira, Setembro 30, 2022

Muito além de Chico Buarque: artistas de Anitta a Caetano apoiam Lula

Bruno Gagliasso, Daniela Mercury, Lenine, Marcelo Serrado e Zeca Pagodinho também já aderiram à pré-campanha do ex-presidente. Fábio Porchat pode ser o próximo.

É grande a lista de artistas que já apoiaram ao menos uma das cinco campanhas presidenciais que Luiz Inácio Lula da Silva (PT) disputou. O cantor e compositor Chico Buarque talvez seja o mais representativo membro desse grupo, seja pela excelência de sua obra, seja pela fidelidade a Lula – ele votou no ex-presidente em 1989, 1994, 1998, 2002 e 2006.

Mas a polarização imposta pelo governo de destruição de Jair Bolsonaro, com direito a discursos e práticas de ódio, tem ampliado a adesão ao pré-candidato do PT. Nesta segunda-feira (11), ao declarar voto em Lula já no primeiro turno, a cantora Anitta encarnou essa tendência.

“Não sou petista e nunca fui. Mas este ano estou com Lula”, resumiu a artista. Segundo ela, a postura “extremamente agressiva e antidemocrática” dos apoiadores de Bolsonaro a levaram a optar, desde já, pelo voto no petista. Em certa medida, sua declaração de apoio traduz o sentido da frente ampla antibolsonarista, que aponta a pré-candidatura de Lula como a melhor alternativa para um projeto de reconstrução do Brasil.

Anitta não foi a única a aderir à pré-campanha lulista. Nos últimos meses, Lula recebeu manifestações de apoio de diversos artistas que, em eleições anteriores, votaram em outros candidatos, como Ciro Gomes (PDT), Marina Silva (Rede) e até Aécio Neves (PSDB). Houve declarações pró-Lula também de nomes que resistiam a se pronunciar publicamente sobre a política nacional. A luta contra Bolsonaro une cada vez mais a classe artística em torno de Lula. Confira.

Bruno Gagliasso

O ator – que brilhou no papel do facínora Lúcio em Marighella (2019) – é um dos defensores mais entusiasmados da pré-candidatura de Lula no meio artístico. No último dia 6, ao participar da estreia do podcast Quem Pode, Pod, apresentado por sua esposa, Giovanna Ewbank, Gagliasso roubou a cena: do nada, ele ofereceu à atriz Fernanda Paes Leme uma toalha estampada com a foto do ex-presidente. Segundo Ewbank, o ator comprou 20 toalhas desse modelo para presentear os amigos.

Caetano Veloso

Eleitor de Marina Silva em 2014 e de Ciro Gomes em 2018, o cantor e compositor agora mudou de opção. Ao participar, em dezembro passado, do programa Roda Viva, Caetano foi questionado se, para derrotar Bolsonaro, ele “iria de Lula” desta vez. “Total!”, respondeu. “Eu já estou de Lula de certa forma, porque as coisas já estão assim configuradas.” Em 13 de maio, o cantor e o político se encontraram e posaram, juntos, para fotos.

Daniela Mercury

Em 2018, no segundo turno das eleições presidenciais, a cantora declarou “apoio crítico” à candidatura de Fernando Haddad (PT). Agora, Daniela é Lula já no primeiro turno. Em show neste domingo (11), diante de um público de 100 mil pessoas na cidade portuguesa de Porto, a artista ganhou – e exibiu sorridente – uma toalha com a foto do ex-presidente e a inscrição “Tô com Lula”. Em fevereiro, ela postou em suas redes uma foto ao lado do petista, junto a uma mensagem: “O sonho não pode esperar!”.

Fábio Porchat

Eis um caso de “quase voto” no pré-candidato a presidente do PT. Apoiador de Ciro Gomes, o humorista admite fazer um voto útil pró-Lula no primeiro turno. Em entrevista ao podcast Papagaio Falante, Porchat se justificou: “Se chegar agosto e o Ciro continuar com 7% (nas pesquisas), e o Lula puder ganhar no primeiro turno, para tirar esse animal, esse verme, esse câncer que está no poder (Bolsonaro), eu vou pintado de estrela vermelha, cantando ‘Lula lá’, voto apertando 13 trezentas vezes”.

Lenine

Conterrâneo de Lula, o cantor e compositor deu pistas de sua preferência eleitoral já em 2019: “Acompanhei a soltura do Lula e vibrei com essa possibilidade real de revê-lo em liberdade”. Três anos depois, o apoio foi selado com uma foto de Lenine com Lula e um post nas redes sociais do artista pernambucano: “Fora Bolsonaro! A hora é agora e a nossa história exige! #lula2022”.

Marcelo Serrado

Após embarcar no apoio à campanha de Aécio Neves (PSDB) em 2014, o ator da TV Globo já havia recuado do discurso antipetista em 2018, ao declarar voto, no segundo turno, em Haddad. Desta vez, Serrado, célebre pelo papel do mordomo Crô, em Fina Estampa, “lulou”. Em dezembro de 2021, ele postou em suas redes: “Minha 1ª, 2ª e 3ª via é Lula!”. No Ano-Novo de 2022, nova declaração: “Para quem gostou da minha 1ª, 2ª, 3ª via, aqui vai minha 4ª, 5ª, 6ª via: Lula. 1º turno!”.

Zeca Pagodinho

O sambista carioca costuma manter discrição quando o assunto é política. Mas, ao assinar um manifesto pela suspeição do ex-juiz Sergio Moro em 2021, Zeca já sinalizava um apoio mais aberto a Lula. No último mês de maio, ele também participou de um encontro de artistas com o ex-presidente, em que o grupo entoou o tradicional canto “Olê, olê, olê, olá / Lula, Lula”.


por André Cintra, Jornalista  | Texto em português do Brasil

Exclusivo Editorial PV / Tornado

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -