Diário
Director

Independente
João de Sousa

Sábado, Dezembro 10, 2022

Nos 116 Anos de Marlene Dietrich

José Mateus
José Mateus
Analista e conferencista de Geo-estratégia e Inteligência Económica

Do olhar, da voz e das pernas, Marlene fez uma arma terrível contra a Alemanha nazi.Nasceu na Alemanha mas, ferozmente anti-nazi, naturalizou-se americana em 1939 e acabou por viver e morrer em Paris. Música, cantora e actriz, Marlene Dietrich, porém, sempre considerou o apoio às tropas americanas, durante a II Guerra, como o seu “most important job”[1].


Marlene em tournée de apoio às tropas americanas organizada pela OSS

Aquela que ficou conhecida como o “Anjo Azul” teve também uma vida amorosa muito rica (Joseph Kennedy e John Wayne são duas das muitas ligações que lhe são atribuídas) mas o grande amor da sua vida foi um herói da Resistência francesa (Médaille militaire e Croix de guerre) tornado um actor célebre depois da derrota da Alemanha, Jean Gabin.


Marlene Dietrich, o esplendor da diva

“The hottest pair of legs in Hollywood!… Million dollar legs” (“Darling, the legs aren’t so beautiful, I just know what to do with them”, Marlene dixit), abandonou definitivamente o mundo do espectáculo em 1974, justamente depois de ter partido uma perna, e recolheu à sua casa de Paris, onde a morte a foi visitar em 1992.


Marlene Dietrich… ‘Million dollar legs’, by Milton Greene, Life, 1952

A voz que “fez” Lili Marlene completaria neste 27 de Dezembro 116 anos.


Marlene, doodle

 

[1] In 1944, the Morale Operations Branch of the U.S. Office of Strategic Services (OSS) initiated the Muzak Project, musical propaganda broadcasts designed to demoralize enemy soldiers. Marlene Dietrich, the only performer who was told her recordings would be for OSS use, recorded a number of songs in German for the project, including Lili Marleen.

Dietrich also performed “Lili Marlene”, as well as many other songs, live in Europe for Allied troops, often on rickety, makeshift stages.

“Lili Marleen” became a massive success, specifically on the German language OSS MO radio station Soldatensender, where it became the station’s theme song. After its warm reception by the troops in Europe, the song was re-recorded and released, with the spelling “Lili Marlene” after her name, Marlene, with Charles Magnante on the accordion, citing him as the “orchestra director” for both it and the single’s B-side, “Symphonie”, sung in French. The single was released by Decca Records in 1945 on a 10″ shellac gramophone record. The original OSS recording of “Lili Marleen” remains unreleased.

Exclusivo Tornado / IntelNomics

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -