Diário
Director

Independente
João de Sousa

Quarta-feira, Maio 25, 2022

O design do quarto dos seus filhos – o que ter em mente

Dependendo das características do seu filho, tais como a idade ou a personalidade, a planificação do seu quarto carece inevitavelmente de grandes doses de bom senso e de bom gosto, designadamente no que respeita às opções estéticas e de design. Não basta conseguir comprar camas de solteiro baratas ou pintar as paredes de rosa, ou azul.

O design do quarto dos seus filhos deverá obedecer a outros cuidados. Acima de tudo, a planificação de um quarto de criança não deverá obedecer aos requisitos estéticos dos pais, mas sim às necessidades específicas dos seus filhos.

No caso das crianças mais pequenas, em particular no momento da transição do quarto dos pais para o seu próprio quarto, é importante que levem consigo elementos decorativos que lhes proporcionem segurança, como é o caso de um ursinho de peluche gigante, ou que providenciam conforto, como é o caso de um tapete felpudo. Estes objetos poderão facilitar a transição e favorecer a vontade de ficar no próprio espaço até que este se torne habitual.

Quanto às cores da decoração, o binómio menina-rosa/menino-azul já não é a regra. Com efeito, as cores deverão servir sobretudo para favorecer o descanso, a concentração ou o conforto, mais do que associar cores a estereótipos de género. Se um quarto for demasiado brilhante e com muitas cores, algumas crianças poderão ter dificuldades em serenar.

Assim, as cores recomendadas para o quarto dos seus filhos são preferencialmente as seguintes:

  • Azul cerúleo;
  • Amarelo pálido;
  • Casca de ovo;
  • Azul água;
  • Bege;
  • Verde claro;
  • Azul céu;
  • Rosa claro.

Todavia, com o crescimento da criança e a formação da sua personalidade, poderá ser boa ideia utilizar cores vivas na decoração do seu quarto, se essa for a sua vontade. A individualidade e a expressão dos gostos são marcas da juventude e não há benefício em contrariá-las.

Um aspeto a evitar, apesar de tentador, é fazer refletir na decoração do quarto a preferência do seu filho por uma determinada personagem do imaginário infantil, como as personagens de filmes ou séries de animação. Estas preferências rapidamente são substituídas por outras à medida que o desenvolvimento da criança transforma os seus interesses e gostos.

Outro item a evitar nos quartos de crianças são os ecrãs, pois a sua utilização no quarto poderá provocar distúrbios do sono, ainda que utilizados fora dos horários de descanso. E se a televisão no quarto é absolutamente desaconselhada, também os telemóveis e tablets deverão ficar a carregar noutro ponto da casa durante a noite.

Se for absolutamente indispensável manter um computador no quarto da criança, este deverá ser colocado num ponto que tenha uma separação visual da cama, como uma estante, um biombo, ou outra solução imaginativa.

Uma última regra, e possivelmente a mais importante de todas, é que o quarto dos seus filhos deverá ser pensado e projetado em função dos espaços de arrumação. Só um quarto com suficientes espaços de arrumação poderá estimular a organização por parte da criança. Se o quarto não possuir espaços atribuídos às coisas, a criança não conseguirá assimilar o conceito de ordem.

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -