Diário
Director

Independente
João de Sousa

Sexta-feira, Junho 21, 2024

Pesquisadores da UNDIL apresentam estudo a especialistas de Portugal

M. Azancot de Menezes
M. Azancot de Menezes
PhD em Educação / Universidade de Lisboa. Timor-Leste

Um grupo de pesquisa de saúde pública do Centro de Investigação e Formação Avançada (CIFA) da UNDIL apresentou em Workshop Internacional os resultados de um estudo muito importante sobre a dengue em Díli.

De acordo com os dados fornecidos pelo Departamento de Vigilância e Epidemiologia do Ministério da Saúde de Timor-Leste, em 2022, foram registados um total de 3.442 casos de dengue no município de Díli (Departamento de Vigilância e Epidemiologia do MDSTL, 2024).

Estes números destacam a urgência de medidas eficazes de prevenção e controlo da dengue na região, bem como a importância do trabalho conjunto entre as instituições de saúde e a comunidade local para mitigar o impacto desta doença na população.

Neste sentido, o grupo de pesquisa de saúde pública do Centro de Investigação e Formação Avançada (CIFA) da UNDIL apresentou num Workshop Internacional organizado pela Universidade de Díli os resultados de um estudo muito importante sobre a dengue em Díli, intitulado, “O impacto do saneamento ambiental na incidência da Dengue em Díli”.

Membros do Grupo de Pesquisa de Saúde Pública da UNDIL

  • Dulce dos Reis, Co-Coordenador, Investigadora do CIFA/UNDIL;
  • Wilson Tavares, Co-Coordenador, Investigador do CIFA/UNDIL, angolano a fazer pesquisa nos EUA e em Portugal;
  • Leocádia Leong Sarmento, Investigadora do CIFA/UNDIL;
  • Joaninha Carvalho de Jesus, Investigadora do CIFA/UNDIL;
  • Adriana Fonseca da Silva, Investigadora do CIFA/UNDIL.

Os resultados do estudo, publicados na Revista Científica da UNDIL, destacaram a importância crítica da gestão adequada do lixo e do tratamento de águas residuais na prevenção da dengue em Díli.

A análise revelou que uma melhoria na gestão do lixo, incluindo a recolha e eliminação adequadas de resíduos sólidos, está associada a uma diminuição significativa na incidência da dengue. Isto sugere que áreas com problemas de gestão de resíduos podem servir como locais ideais para a reprodução dos mosquitos transmissores da doença, aumentando assim a propagação da dengue.

Além disso, os resultados também destacaram a relação entre a contaminação da água do esgoto e a incidência da dengue. Uma maior contaminação da água do esgoto mostrou-se fortemente associada a um aumento na incidência da dengue na região estudada. Estes resultados sublinham a importância crítica de políticas e práticas eficazes de saneamento ambiental, incluindo o tratamento adequado de resíduos sólidos e águas residuais, na prevenção e controlo da propagação da dengue.

Painel de avaliadores do CCISP e da UNDIL

A apresentação do estudo foi depois comentada por quatro especialistas em saúde do Conselho Coordenador dos Institutos Superiores Politécnicos de Portugal (CCISP) e pelo Chefe do Departamento de Enfermagem da UNDIL, tendo merecido uma avaliação excelente pelo rigor científico, metodológico e pertinência social.

Painel de comentadores do CCISP e da UNDIL (UNDIL, 31/05/2024)

Os comentadores do estudo incluíram quatro especialistas do CCISP e o experiente Chefe de Departamento de Enfermagem da UNDIL

  • Presidente da Escola Superior de Enfermagem de Lisboa (Prof. Doutora Patrícia Carla Pereira)
  • Presidente do Instituto Superior Politécnico de Viseu (Prof. Doutor José dos Santos Costa)
  • Vice-Presidente da Escola Superior de Enfermagem de Coimbra (Prof. Doutora Maria da Conceição Alegre de Sá)
  • Chefe do Departamento de Enfermagem da UNDIL (Prof. Mestre Francisco Salgueiro
  • Moderador: Presidente da RACS – Rede Académica das Ciências da Saúde da Lusofonia (Prof. Doutor Jorge Conde)

INCT de Timor-Leste apoia a dinâmica científica da UNDIL

O Director Nacional do Instituto Nacional de Ciências e Tecnologia (INCT) de Timor-Leste, Doutor Leonel Xavier, presente no acto, elogiou igualmente o trabalho de pesquisa realizado pelos investigadores da UNDIL e reforçou a ideia de que a cooperação científica entre Timor-Leste e Portugal deve ser acarinhada e reforçada para o desenvolvimento qualitativo da investigação e ciência em todo o país.

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -