Diário
Director

Independente
João de Sousa

Quinta-feira, Junho 13, 2024

Qual é o seu sonho? Ajude a concretizar o dos jovens El Hiblu 3

Todos temos um sonho em comum: viver em segurança e em liberdade.

Sonhar com um futuro melhor na Europa levou três jovens a atravessarem o Mediterrâneo. Mas, quando tudo parecia encaminhar-se, o pior aconteceu. Após um resgate atribulado e uma tentativa de devolução à Líbia, permaneceram unidos e defenderam o seu direito à segurança, a não serem torturados e a pedirem asilo.

Em Malta, três jovens arriscam-se a passar o resto das suas vidas atrás das grades por terem ajudado requerentes de asilo a escaparem da tortura.

Antes de serem conhecidos como El Hiblu 3, eram apenas três adolescentes apaixonados por futebol e basquetebol. No momento em que as suas vidas mudaram, com 15, 16 e 19 anos, tudo o que queriam era uma vida digna e em segurança.

A sua história de resistência e de sobrevivência pode agora terminar com a condenação a uma vida na prisão. Ajude-os a manterem o sonho vivo!

Veja como pode agir:

Porque precisamos de si?

Há quem arrisque tudo por um futuro em segurança, mesmo que isso implique uma travessia num barco de borracha. Foi o que aconteceu ao grupo de três jovens conhecido como El Hiblu 3. Em março de 2019, desesperados por escaparem à violência e à tortura que sofriam na Líbia, embarcaram num barco insuflável em direção à Europa.

A embarcação ficou em perigo e acabou por ser salva por um petroleiro, o El Hiblu. Mas quando pensavam que já estavam em segurança, tudo mudou. A tripulação tentou devolver estas pessoas à Líbia, apesar de ter prometido que não o faria. A reação foi de choque: as pessoas entraram em pânico e imploraram para que não fossem devolvidas à tortura.

Perante a situação, a tripulação pediu ajuda aos três jovens. Atuando enquanto intérpretes, conseguiram acalmar a situação, tranquilizando todos os  envolvidos e defenderam o seu direito à segurança e a pedirem asilo. No final, convenceram a tripulação a ir para a Europa.

Mas o pesadelo estava longe de acabar. Quando se aproximaram de Malta, as autoridades subiram a bordo e alegaram que a embarcação tinha sido sequestrada pelos três jovens, mesmo apesar das provas indicarem o contrário. Acabaram por sair do petroleiro algemados e estão acusados de crimes tão graves que, se considerados culpados, podem passar o resto das vidas na prisão. Mas a sua ação pode permitir que isso não aconteça, atue!

 

O que queremos?

Queremos que todas as acusações sejam retiradas e que o caso seja encerrado.

 

Qual é a sua missão?

  1. Assinar a petição dirigida ao/à procurador/a-geral de Malta
  2. Partilhar com familiares e amigos.
  3. Partilhar a petição nas redes sociais.

 

Guia da acção

  1. Assinar a petição: Por serem contra a tortura, arriscam-se a uma vida inteira na prisão
  2. Partilhar com familiares e amigos:
    Fale deste caso com os seus familiares e amigos. Em casa, utilizando SMS ou outra forma de contacto, inicie uma conversa sobre este caso, as suas implicações e convide as pessoas a assinarem a petição.
  3.  Partilhar nas redes sociais:
    Partilhe o link da petição nas suas redes sociais (Instagram, Facebook, Twitter ou outra) para que mais pessoas assinem. Se preferir, pode partilhar os posts que encontrará nas redes sociais da Amnistia Internacional Portugal (@amnistiapt).

Pode sempre escrever a sua própria mensagem ou utilizar alguma das que sugerimos de seguida:

 

Para saber mais

Para saber mais sobre a Amnistia Internacional, Nassima al-Sada e o estado dos direitos humanos na
Arábia Saudita:


Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a Newsletter do Jornal Tornado. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

 

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -