Diário
Director

Independente
João de Sousa

Quinta-feira, Outubro 21, 2021

Quebra-Nozes

J. A. Nunes Carneiro, no Porto
Consultor e Formador

Os meus objectos (6)

No meu caso, recordo-me muitas vezes de um quebra-nozes que o meu pai comprou, teria eu 10 anos de idade. Foi uma compra não muito boa pois, na primeira utilização uns dias depois, o dito partiu-se após ter quebrado uma meia dúzia de nozes.

A nossa vida é feita de muitos e variados acontecimentos. A aprendizagem de valores está, muitas vezes, directamente relacionada com uma situação que acabou por nos moldar. Pode ser algo quase sem importância ou um momento forte. No entanto, ambos podem marcar de forma decisiva a nossa visão do mundo e os nossos princípios.

No meu caso, recordo-me muitas vezes de um quebra-nozes que o meu pai comprou, teria eu 10 anos de idade. Foi uma compra não muito boa pois, na primeira utilização uns dias depois, o dito partiu-se após ter quebrado uma meia dúzia de nozes. O meu pai não gostou e fomos os dois a uma loja para que ele pudesse apresentar a justa reclamação.

Exposta a situação ao lojista, ele disse nada poder fazer porque o quebra-nozes não tinha sido vendido por ele. Argumento contra argumento e regressámos a casa sem que a troca se tivesse feito. O meu pai não gostou da ideia mas nada pôde fazer. Estávamos nós quase na hora de jantar e, como que se tivesse feito luz na sua mente, o meu pai disse que o lojista tinha razão. O quebra-nozes tinha sido comprado… noutra loja.

Pensava eu que tudo se resolveria no dia seguinte. Nada disso aconteceu. O meu pai decidiu ir de imediato à loja pedir desculpa ao lojista por ter reclamado sem razão, reconhecendo o seu erro. E lá fomos. A loja já estava fechada. Mas, para mim, esta foi uma das mais importantes lições de vida: saber reconhecer os erros, assumir as responsabilidades pelas suas falhas, ter a coragem de compreender que não somos perfeitos.

Tudo isto o meu pai me ensinou por causa daquele quebra-nozes. E, ainda hoje, sempre que como nozes e mantenho o ritual de as partir com um quebra-nozes lembro-me deste episódio. Valeu mais do que mil sermões ou repreensões. O exemplo ainda é uma das formas mais importantes de educar uma criança, de transmitir bons conselhos e de criar valores. Obrigado, pai.


Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a Newsletter do Jornal Tornado. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

 

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -