Diário
Director

Independente
João de Sousa

Terça-feira, Outubro 4, 2022

Queda na produção de derivados de petróleo e PPI agravam desindustrialização

Desoneração do IPI também contribui para baixo desempenho da produção industrial, que caiu 2,8% em 12 meses. Setor perdeu 1 milhão de empregos na última década.

A indústria brasileira, que perdeu 1 milhão de empregos na última década, sofreu retração de 0,5% em junho de 2022, na comparação com junho de 2021, com cinco dos quinze locais pesquisados apresentando resultados negativos, de acordo com a Pesquisa Industrial Mensal (PIM), realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). No acumulado no ano, a redução verificada na produção nacional é de 2,2%, alcançando oito dos quinze locais que fazem parte do levantamento. Em 12 meses, o recuo chega a 2,8%, tendo 11 dos 15 locais pesquisados registrado taxas negativas em junho e nove apontado menor dinamismo.

Na comparação de junho de 2022 em relação a maio, a produção industrial voltou a cair, após ter ensaiado uma muito leve recuperação nos últimos meses. De maio para junho, houve recuo de 0,4%, com quedas registradas em 10 dos 15 locais da federação que fazem parte do levantamento do IBGE. As maiores quedas ocorreram no Mato Grosso (-2,8%), Rio de Janeiro (-2,4%) e Espírito Santo (-2,3%). Amazonas (-1,6%), Ceará (-1,4%), Região Nordeste (-0,6%) e Rio Grande do Sul (-0,5%) também registraram recuos mais intensos do que a média nacional (-0,4%).

No caso do Rio de Janeiro, trata-se da segunda queda consecutiva no indicador, representando uma perda acumulada de 6,5%. “O comportamento no Rio de Janeiro reflete o baixo desempenho do setor de derivados do petróleo, muito atuante na indústria fluminense, e, também, da indústria farmacêutica. Em ambos os setores, consiste em uma estratégia de produção e equalização de oferta e demanda”, explicou o analista da pesquisa, Bernardo Almeida.

Para o presidente da Federação Única dos Petroleiros (FUP), Deyvid Bacelar, a queda na produção industrial no Rio de Janeiro é consequência da distorção no mercado causada pelo Preço de Paridade de Importação (PPI), política da Petrobras mantida durante o governo Bolsonaro e que atrela os preços no Brasil ao dólar. “De 2015 ao primeiro trimestre de 2022, a produção de derivados da Petrobrás entrou em queda, e apresentou redução de 15%, caindo para 1,73 milhão de barris/dia. Enquanto isso, aumentam as importações de combustíveis, amparadas pela equivocada política de preço de paridade de importação (PPI), implementada em 2016 e mantida por Bolsonaro”, declarou ao Portal Vermelho.

Também pesou para o recuo no resultado nacional a reversão do desempenho positivo da indústria do Amazonas, que até este momento acumulava ganhos de 20,3% nos quatro meses anteriores. As indústrias da Zona Franca de Manaus passaram por momentos de incerteza com relação à tributação, por conta dos decretos de desoneração do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) do Ministério da Economia. “Essa queda se dá pelo desempenho do setor de equipamentos de informática, produtos eletrônicos e ópticos e no setor de outros equipamentos de transporte, no caso, a produção de motocicletas”, destacou o analista da PMI.


por Mariana Mainenti |   Texto em português do Brasil

Exclusivo Editorial PV / Tornado

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -