Diário
Director

Independente
João de Sousa

Quarta-feira, Fevereiro 1, 2023

Reino Unido: Financeira multada por más práticas

FCA-Reino-Unido
O organismo que regula a actividade financeira no Reino Unido multou em 1,2 milhões de libras a WH Ireland, empresa correctora e gestora de fortunas, por “sérias falhas” na supervisão do pessoal. O Telegraph revelou que o Financial Conduct Authority (FCA), organismo que supervisiona as empresas financeiras no país, acusou a WH Ireland de “quebrar regras na gestão de risco entre Janeiro e Junho de 2013, porque não teve controlo efectivo para prevenir abusos de mercado na companhia”.

A empresa recebeu informações privilegiadas de forma constante, o que poderia ter um impacto negativo no mercado e num número elevado de outros participantes nas transacções económicas, caso “essa informação interna fosse mal gerida”, afirmou o regulador. Outra sanção aplicada à WH Ireland foi a proibição de captar novos clientes para a divisão de correctores da bolsa, num espaço de 72 dias.

À data em que as irregularidades foram detectadas, a empresa tinha cerca de 9 mil clientes com cerca de 2,5 biliões de libras em investimentos a serem geridos. “Estes clientes podem ter adquirido e vendido instrumentos financeiros ou podem ter sido aconselhados a fazê-lo pela firma sem terem as devidas cautelas”, acrescentou o regulador.

A WH Ireland tem estado sob investigação desde Abril de 2014 e afirmou que, em 2015, o custo de contratar uma “pessoa qualificada” para escrutinar os negócios tinha custado 180 mil libras. Mark Steward, representante do FCA, sublinhou que “esperamos que todas as empresas tenham os controlos adequados para mitigar riscos e proteger os seus clientes, bem como a integridade dos mercados”.

Por sua vez, a empresa multada afirmou que “levou esta questão muito a sério desde o início, e isso reflecte-se no investimento significativo que a firma fez, tanto no tempo para tratar destes assuntos como no recrutamento de uma nova equipa de gestão sénior para implementar melhores práticas corporativas”. A empresa lamenta não ter correspondido a todas as expectativas do organismo regulador, mas insiste que fez mudanças para melhorar as práticas internas.

 

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -